CDS à frente do PSD em Lisboa? "A dimensão dos partidos não tem comparação"

Manuela Ferreira Leite lembrou hoje "a quem pensa que pode ficar em segundo lugar" - leia-se o CDS - que o PSD é um "partido de maior expressão"

Manuela Ferreira Leite juntou-se hoje à campanha de Teresa Leal Coelho para um pequeno-almoço e uma arruada - que foi na verdade um passeio, praticamente sem contacto com a população - nas Avenidas Novas. Uma ação de campanha discreta, onde a interação com os eleitores se resumiu à entrada numa farmácia e num café e à distribuição de meia dúzia de folhetos, e que a ex-líder social-democrata explicou assim: "Não esperem que tenhamos pessoas atrás de nós, que esteja tudo aos gritos, que se faça comícios. Isso já não se usa, já não existe. A única coisa que existe neste momento é a comunicação social e as redes sociais".

Não houve gritos da JSD, não houve pessoas atrás da comitiva, não houve comícios. Foi já no final, junto ao jardim do Arco do Cego, que Leal Coelho e Ferreira Leite falaram aos jornalistas. E se a candidata a Lisboa tem evitado comentar sondagens que a deixam atrás de Assunção Cristas, a antiga presidente do PSD não fugiu à questão, recusando em absoluto esse cenário - "As sondagens são as sondagens. Não tenho dúvidas de que o PSD é um partido de maior expressão, muito mais do que quem pensa que pode ficar em segundo lugar. A diferença entre a dimensão dos partidos não tem qualquer hipótese de comparação". Dito por outras palavras, Cristas não tem hipóteses de ficar à frente de Leal Coelho que, diz Ferreira Leite, apresenta uma "equipa de luxo" à autarquia. Daí, também, o apoio público à candidata laranja: "Não venho cá por obrigação, venho por devoção. Primeiro porque sou de Lisboa, e o que se passa na cidade não me é indiferente, mas talvez em primeiro lugar porque sou do PSD. Considero que a candidatura do PSD é algo de muito importante para a Câmara de Lisboa".

Leal Coelho devolveu o cumprimento, dizendo "considerar muitíssimo" a ex-presidente social-democrata - "Tem uma visão para a cidade de Lisboa e para o país que eu muito aprecio, dá-me conselhos muito úteis". Quais? "Aqueles que já estão materializados no programa para Lisboa. As questões que se colocam relativamente a Lisboa são as questões da habitação, de voltar a trazer os filhos e os netos para Lisboa."

E se hoje foi Manuela Ferreira Leite, Teresa Leal Coelho anunciou que amanhã será a vez de outro ex-líder do partido, Luís Marques Mendes, se juntar à campanha social-democrata em Lisboa. E quarta-feira, mais um antigo presidente, do partido e da autarquia - Pedro Santana Lopes. "Estou muito, muito bem rodeada" por figuras do PSD, garantiu.

Exclusivos