Ministra da Administração Interna quer "rápido apuramento dos factos" sobre agressões a polícias

A investigação do caso foi entregue à Polícia Judiciária (PJ) por configurar um crime de homicídio, na forma tentada.

A ministra da Administração Interna (MAI) manifestou este sábado "preocupação face à brutalidade e violência da agressão" contra quatro polícias na noite de Lisboa, classificou tais atos de "intoleráveis" e prometeu um "rápido apuramento dos factos".

"Francisca Van Dunem manifesta a sua preocupação face à brutalidade e violência da agressão, totalmente intoleráveis e que justificam um rápido apuramento dos factos e a responsabilização dos seus autores", refere uma nota informativa do Ministério da Administração Interna (MAI).

Na mesma nota, a ministra exprime também a sua solidariedade para com os agentes agredidos, e com as suas famílias, e, em particular com o agente que se encontra hospitalizado, em estado grave.

Relativamente a este último polícia, que segundo disseram fontes policiais à Lusa está em coma no Hospital de São José, Lisboa, a ministra diz alimentar "a expectativa de que consiga vencer a luta pela sobrevivência e ultrapassar as terríveis dificuldades deste momento".

O MAI indica que tomou conhecimento, através da Direção Nacional da PSP de uma "ocorrência que envolveu quatro agentes da PSP que terão sido vítimas de uma agressão quando - encontrando-se fora de serviço - tentaram apaziguar uma contenda num espaço de diversão noturna".

De acordo com uma nota do Comando Metropolitano de Lisboa, a investigação do caso foi entregue à Polícia Judiciária (PJ) por configurar um crime de homicídio, na forma tentada.

Recorde-se que quatro polícias foram, na madrugada deste sábado, agredidos violentamente no exterior de uma discoteca em Lisboa, tendo sido transportados para o hospital, onde um deles se encontra "em estado crítico", informou o Comando Metropolitano de Lisboa da PSP.

Fonte sindical da PSP disse à agência Lusa que o polícia que está em estado crítico, se encontra em coma, no Hospital de São José, em Lisboa.

No comunicado emitido, o Comando Metropolitano de Lisboa refere que o incidente ocorreu pelas 6.30 horas "no exterior de um estabelecimento de diversão noturna, na avenida 24 de Julho", tendo começado com agressões mútuas entre vários cidadãos.

Segundo relata a PSP, no local encontravam-se "quatro polícias, fora de serviço, que imediatamente intervieram, como era sua obrigação legal" acabando por ser agredidos "violentamente" por um dos grupos, formado por cerca de 10 pessoas.

Durante a ação policial, um dos polícias foi "empurrado e caiu ao chão, onde continuou a ser agredido com diversos pontapés, enquanto os restantes polícias continuavam também a defender-se das agressões", adianta a PSP.

De acordo com a polícia, os agressores colocaram-se em fuga e não foi possível a sua identificação.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG