PS recusa acordos para a legislatura e vai negociar orçamento a orçamento

Socialistas vão seguir metodologia idêntica à legislatura que acabou de apreciação prévia das propostas de orçamentos. As próximas reuniões com BE serão já no âmbito de preparação de programa de governo e orçamento.

O PS recusa acordos escritos para a próxima legislatura e vai negociar caso a caso os orçamentos do Estado dos próximos quatro anos. A decisão saiu da Comissão Política do partido, que esteve reunida na noite desta quinta-feira.

De acordo com um comunicado emitido pelo partido, à "semelhança da legislatura agora finda, será prosseguida uma metodologia idêntica de apreciação prévia das propostas de orçamentos do Estado e de outras relevantes para a estabilidade governativa".

O documento refere que "o resultado eleitoral do último domingo demonstrou o apoio à continuidade da solução governativa que, durante quatro anos, garantiu mais crescimento, melhor emprego e maior igualdade, sempre com contas certas". Em consequência, o PS reuniu com os partidos da esquerda parlamentar e o PAN, contactos dos quais resultou "claro que o PS tem condições para formar Governo, tendo todos os partidos manifestado vontade de trabalhar para que haja mais quatro anos de estabilidade política, estabilidade que é essencial para o desenvolvimento do país, para a confiança que gera crescimento e para a nossa credibilidade externa".

"Resultou ainda dos contactos que, à semelhança da legislatura agora finda, será prosseguida uma metodologia idêntica de apreciação prévia das propostas de orçamentos do estado e de outras relevantes para a estabilidade governativa", conclui o comunicado.

A possibilidade de um acordo para a legislatura, que o próprio António Costa admitiu na última quarta-feira como uma das hipóteses em cima da mesa, após a reunião com o Bloco de Esquerda, cai assim por terra, um dia depois. "Convergimos quanto à vontade mútua de prosseguir o trabalho conjunto que tivemos nesta legislatura. Os modos concretos em que trabalharemos em conjunto na próxima legislatura é algo que iremos continuar a avaliar. Nos próximos dias teremos reuniões de trabalho para vermos quais são as condições de convergência e o grau de compromisso", afirmou então o primeiro-ministro indigitado, apontando uma "vontade conjunta de trabalhar num acordo no horizonte da legislatura".

Dessa reunião entre PS e BE tinha saído a informação de que os dois partidos manteriam reuniões mais técnicas, mas fonte socialista apontou ao DN que as mesmas já não vão acontecer. As próximas reuniões serão já no âmbito de preparação de programa de governo e orçamento. Segundo explicou a fonte, "o objetivo foi, perante a disponibilidade demonstrada pelos partidos, tratá-los por igual e evitar entrar nos pormenores das propostas do BE".

Na comissão desta noite, António Costa notou que "as coisas não serão como dantes", sinalizando a necessidade de estabilidade, enquanto disse temer o regresso da rua, que ponha em causa a paz social.

Exclusivos