Chumbada proposta de Joacine para devolução de bens de museus aos países de origem

A Assembleia da República chumbou a proposta de Joacine Katar Moreira e do Livre que previa restituição de património cultural às ex-colónias

O apoio apenas do Bloco de Esquerda e do PAN e a abstenção do PCP, a polémica proposta de Joacine Katar Moreira para a Descolonização do Conhecimento foi chumbada pelo Parlamento. A deputada que já está a agir por conta própria, já que está em ruptura com o Livre, queria com a proposta que todo o património das ex-colónias, presente em território português, pudesse ser restituído aos países de origem para "descolonizar" museus e monumentos estatais.

Apesar de estarem em rutura, era era uma medida não só de Joacine mas também do livre. A proposta estava mesmo no programa eleitoral do partido, que no 11.º capítulo - "Cultura e Arte" - já previa avançar com a questão da descolonização da cultura, a par de uma "aposta no cinema e no audiovisual" ou da valorização do "património cultural material e imaterial e a criação contemporânea".

O partido e Joacine pretendiam que o património das ex-colónias portuguesas, que esteja atualmente na posse de museus e arquivos nacionais, possa ser identificado, reclamado e restituído às comunidades de origem, segundo uma proposta de alteração ao Orçamento do Estado para 2020, conforme anunciado na terça-feira passada pela deputada.

A elaboração da lista do património a ser restituído estaria a cargo de um "grupo de trabalho composto por museólogos, curadores e investigadores científicos".

Leia mais em Dinheiro Vivo a sua marca de economia

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG