Mesquita Nunes: "Não serei candidato à liderança do partido"

O anúncio surge depois de uma entrevista de Pires de Lima onde comentou o resultado "muito mau" do CDS e disse que gostaria de ver "o talento" de Adolfo Mesquita Nunes "posto à prova".

Adolfo Mesquita Nunes anunciou este domingo que não será candidato à liderança do CDS, depois de Assunção Cristas ter abandonado o cargo após os resultados das eleições legislativas de 6 de outubro.

"(...) Não serei candidato à liderança do partido, em coerência aliás com uma escolha que fiz em março deste ano, cuja fundamentação se mantém", escreveu na sua página de Facebook.

O anúncio surge depois de uma entrevista de Pires de Lima à Antena 1 onde comentou o resultado "muito mau" do CDS e disse que gostaria de ver "o talento" de Adolfo Mesquita Nunes "posto à prova numa função de liderança na política. Acho que seria um grande desperdício para o CDS se isso não viesse a acontecer no nosso partido", afirmou.

Terá sido esse desafio de Pires de Lima que levou Mesquita Nunes a rejeitar, desde já, uma possível candidatura para líder do partido.

"Tinha como objetivo não falar em público do CDS nem dos seus desafios futuros antes de o fazer no Conselho Nacional do partido, que decorrerá esta quinta-feira; no entanto, o calendário mediático é o que é, pelo que me desviei desse propósito apenas para que ao meu silêncio não pudesse corresponder qualquer significado político de aceitação de um desafio do António Pires de Lima, um amigo, alguém que admiro muito e que é para mim uma referência", explicou.

Exclusivos