Costa do Marfim: Marcelo anuncia abertura de embaixada em Abidjan

O Presidente da República termina esta sexta-feira a sua visita de Estado à Costa do Marfim, onde na quinta-feira, perante o seu homólogo costa-marfinense, confirmou oficialmente que Portugal irá abrir uma embaixada em Abidjan.

Marcelo Rebelo de Sousa irá receber o Diploma de Cidadão Honorário e a Chave da Cidade de Abidjan, o que implica uma "cerimónia de elevação a chefe tradicional", e um doutoramento 'honoris causa' na Universidade Félix Houphouët-Boigny.

Antes de regressar a Lisboa, o Presidente da República visitará ainda o Centro de Tratamento de Resíduos de Abidjan, operado pela Mota-Engil, e terá encontros com representantes da comunidade portuguesa na Costa do Marfim, estimada em cerca de 200 pessoas, e com alunos de língua portuguesa.

O ex-vice-primeiro-ministro, Paulo Portas, encontra-se em Abidjan e também estará nessa visita, na qualidade de membro do Conselho Consultivo da Mota-Engil. Portas deixou a liderança do CDS-PP em março de 2016 e renunciou ao cargo de deputado três meses depois, para se dedicar sobretudo à vida empresarial.

Marcelo Rebelo de Sousa viajou para a Costa do Marfim na quarta-feira, vindo de Cabo Verde, num Falcon da Força Aérea que aterrou já depois da meia-noite, para uma visita de Estado concentrada na capital económica, Abidjan, num momento de reforço das relações político-diplomáticas e económicas bilaterais.

A Costa do Marfim abriu uma embaixada em Lisboa em julho de 2016 e o Presidente costa-marfinense esteve em Portugal, numa visita inédita, em setembro de 2017, ano em que a TAP retomou os voos entre os dois países.

Quando recebeu Ouattara em Lisboa, Marcelo Rebelo de Sousa considerou que as relações bilaterais têm vindo a fortalecer-se "a um ritmo que ultrapassou as expectativas", com "um salto ainda mais espetacular" no plano económico.

Após a instauração da democracia em Portugal, foram estabelecidas relações diplomáticas entre os dois países, em 28 de janeiro de 1975.

Marcelo Rebelo de Sousa é o segundo Presidente português a visitar esta antiga colónia francesa que se tornou independente em 1960, depois de Mário Soares, que esteve na Costa do Marfim em novembro de 1989.

Esta é a sua 15.ª visita de Estado desde que tomou posse como Presidente da República, em março de 2016.

Integram a sua comitiva o secretário de Estado da Internacionalização, Eurico Brilhante Dias, o líder parlamentar do CDS-PP, Nuno Magalhães, os deputados Jorge Paulo Oliveira, do PSD, João Marques, do PS, e Diana Ferreira, do PCP, e o presidente da Agência para o Investimento e o Comércio Externo de Portugal (AICEP), Luís Castro Henriques.