Miguel Morgado vai ponderar "muito a sério" disputar liderança do PSD

Miguel Morgado, antigo assessor político de Passos Coelho, afirmou hoje que, se forem convocadas eleições diretas no PSD, irá ponderar "muito a sério a possibilidade de ser candidato", uma decisão independente de uma candidatura de Luís Montenegro.

"Eu respeitarei seja qual for a decisão dos conselheiros nacionais: se houver eleições, tenho responsabilidades especiais, não as declinarei, e isso significa levar muito a sério a possibilidade de me candidatar, mas ainda não tomei essa decisão", afirmou o deputado, em declarações aos jornalistas à entrada para a Convenção Europa e Liberdade, na qual é orador hoje à tarde.

Questionado se essa decisão será influenciada por o antigo líder parlamentar do PSD Luís Montenegro estar também na corrida, Miguel Morgado respondeu: "Não exclui nem inclui, eu farei a minha própria ponderação à luz do modo como as coisas forem evoluindo."

Luís Montenegro está disponível para disputar a presidência do PSD e quer "eleições já", afirmou hoje uma fonte próxima do antigo deputado, que acrescentou que este dará uma conferência de imprensa na sexta-feira, às 16.00, no Centro Cultural de Belém, em Lisboa.

Exclusivos

Premium

história

A América foi fundada também por angolanos

Faz hoje, 25 de agosto, exatos 400 anos que desembarcaram na América os primeiros negros. Eram angolanos os primeiros 20 africanos a chegar à América - a Jamestown, colónia inglesa acabada se ser fundada no que viria a ser o estado da Virgínia. O jornal The New York Times tem vindo a publicar uma série de peças jornalísticas, inseridas no Project 1619, dedicadas ao legado da escravatura nos Estados Unidos. Os 20 angolanos de Jamestown vinham num navio negreiro espanhol, a caminho das minas de prata do México; o barco foi apresado por piratas ingleses e levados para a nova Jamestown. O destino dos angolanos acabou por ser igual ao de muitos colonos ingleses: primeiro obrigados a trabalhar como contratados e, ao fim de alguns anos, livres e, por vezes, donos de plantações. Passados sete anos, em 1626, chegaram os primeiros 11 negros a Nova Iorque (então, Nova Amesterdão) - também eram angolanos. O Jornal de Angola publicou ontem um longo dossiê sobre estes acontecimentos que, a partir de uma das maiores tragédias da História moderna, a escravatura, acabaram por juntar o destino de dois países, Angola e Estados Unidos, de dois continentes distantes.