Falta de combustíveis. CDS pede audição "urgente" ao ministro do Ambiente

Os deputados do CDS querem ouvir "com urgência"o ministro do Ambiente, João Pedro Matos Fernandes, sobre o eventual "colapso" no abastecimento dos combustíveis devido à greve dos motoristas de substâncias perigosas.

O CDS lembra que os motoristas de matérias perigosas, que reclamam uma revisão salarial e mudanças nas regras que regulam a profissão, começaram segunda-feira um greve por tempo indeterminado. "Este setor é importante para a dinâmica do nosso país uma vez que pode provocar um colapso no abastecimento de combustíveis em três dias o que, a acontecer, teria enormes consequências para a economia nacional e para as famílias portuguesas que têm necessidade de se deslocar diariamente", afirmam os centristas.

Por este motivo, o CDS quer ouvir no Parlamento o ministro da tutela. O governo decretou entretanto, já esta terça-feira, uma requisição civil para obrigar aqueles trabalhadores a cumprir os serviços mínimos fixados pelo Ministério do Trabalho, que segundo o executivo não estão a ser cumpridos.

A ANA - Aeroportos de Portugal informou também já esta terça-feira que as reservas de emergência de combustíveis foram atingidas no aeroporto de Faro e de Lisboa.

A ANA aconselha os passageiros com voos nos aeroportos de Lisboa e Faro a informarem-se junto das companhias aéreas sobre os seus voos, lamentando "o transtorno causado aos passageiros" e esperando que "a situação seja resolvida com a máxima urgência pelas autoridades competentes".