Albano Morais Pinto é novo diretor do DCIAP

É visto pelos seus pares como um "procurador combativo". Exercia atualmente funções no Supremo Tribunal de Justiça

Albano Morais Pinto, de 63 anos, vai ser o novo diretor do Diretor do Departamento Central de Investigação e Ação Penal (DCIAP), em substituição de Amadeu Guerra que esta semana assumiu o cargo o cardo de Procurador distrital de Lisboa.

É visto pelos seus pares como um "procurador combativo", tendo já passado pela direção da Polícia Judiciária. "O problema maior vai ser o confronto com a elite do DCIAP", antecipa um antigo procurador ao DN.

Albano Morais Pinto foi eleito por unanimidade pelo Conselho Superior do Ministério Público, anunciou esta quinta-feira a Procuradoria-Geral da República. Exercia, atualmente, funções no Supremo Tribunal de Justiça - a sua tomada de posse foi o último ato de Joana Marques Vidal como procuradora-geral da República. "A minha vocação é a área do crime", disse nessa cerimónia.

Em acumulação, Albano Morais Pinto exercia funções de auditor jurídico nos Ministérios da Administração Interna e da Defesa Nacional.

Albano Morais Pinto nasceu em 1955, em Coimbra. É licenciado em Direito pela Faculdade de Direito da Universidade de Coimbra, tendo ingressado no Ministério Público em 1982.

Promovido a Procurador da República, em 2000, foi colocado no círculo judicial das Caldas da Rainha e, depois, no círculo judicial de Leiria onde desempenhou funções de coordenador durante quase uma década. Em 2014, foi promovido a Procurador-Geral Adjunto.

Entre setembro de 2002 e agosto de 2004 exerceu o cargo de Diretor Nacional Adjunto (da Direção Central de Investigação da Corrupção e Criminalidade Económica e Financeira) da Polícia Judiciária.

Ao longo dos últimos anos, publicou textos e estudos sobre diversos temas, designadamente, referentes à criminalidade grave, económico-financeira e complexa e, em geral, sobre processo penal.

Ler mais

Exclusivos