Ele há coincidências. Bloco relaciona saída na Energia com avisos da EDP

Dirigente bloquista recordou palavras de Eduardo Catroga para notar que o secretário de Estado Jorge Seguro Sanches foi "remodelado" este domingo

É uma defesa inusitada de um secretário de Estado pela mão de um dirigente e deputado bloquista, com EDP pelo meio. Com a remodelação deste domingo, o primeiro-ministro, António Costa, substituiu o ministro Manuel Caldeira, que detinha a Economia, pasta onde estava integrada a Energia, sob as mãos de Jorge Seguro Sanches.

Manda a lei que, quando cai um ministro, caem também os seus secretários de Estado. E foi o que aconteceu com Seguro Sanches. E Jorge Costa, deputado do Bloco de Esquerda, leu nesta remodelação o eventual dedo da EDP.

Num tweet publicado este domingo de manhã, Jorge Costa cita Eduardo Catroga, membro do Conselho Geral e de Supervisão da EDP, numa entrevista ao jornal Eco, publicada no sábado, onde o antigo ministro das Finanças dizia que "h á alguma indignação dos acionistas da EDP em relação ao Governo". Catroga deixava no entanto a mensagem de que "há esperança que seja passageiro".

Para Jorge Costa, foi agoiro do homem da EDP. "O secretário de estado da energia Jorge Seguro foi hoje remodelado."

Seguro Sanches pode voltar a ser reconduzido na mesma pasta, pelo novo ministro da tutela. Matos Fernandes, que era até aqui ministro do Ambiente, ficou agora com a Energia (no caso, ministro do Ambiente e da Transição Energética), pode escolher a agora demitido secretário de Estado para a mesma pasta.

No sábado, a deputada do BE Mariana Mortágua tinha antecipado um entendimento para o Orçamento do Estado no qual os bloquistas garantiram uma transferência de 190 milhões de euros da contribuição extraordinária sobre o setor energético (CESE) para amortizar o défice tarifário e mais 40 milhões do fundo de carbono, que beneficiará os consumidores domésticos.

com Paulo Pena

Exclusivos