Tenha o guarda-chuva à mão. Vai chover mais do que a média nos próximos dias

A previsão alargada do Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) aponta para um valor de precipitação acima da média até dia 20.

Vai chover durante o Natal? 2020 vai acabar molhado? Não se sabe. Mais certo, segundo a previsão alargada do IPMA, é que nos próximos dias, até dia 20 inclusive, vai chover mais do que a média das semanas em questão.

Alguns sites de meteorologia apontam para tempo chuvoso nas próximas três semanas em Portugal continental, mas são Interrogações sem resposta definitiva. O IPMA não subscreve tais previsões, feito com "algum tratamento estatístico da informação, mas muitas das vezes artificial que pouco significado físico tem", ou seja, "está estatisticamente correta mas pode não representar a realidade", explica a meteorologista Ângela Lourenço.

A técnica do IPMA remete para a previsão alargada do Instituto, a qual aponta para esta semana uma "anomalia positiva" no que respeita à precipitação total semanal, de entre 10 e 90 milímetros no Norte e Centro do país, mas com certos locais a ultrapassarem o intervalo máximo esperado.

Na semana de 14 a 20 espera-se mais chuva e também com valores acima da média dos últimos 30 anos, mas a "anomalia positiva" do total semanal de precipitação situar-se-á entre 0 e 30 milímetros.

Como qualquer previsão estatística, tal não significa que irá chover todos os dias em todo o território.

A previsão alargada, que vai até 3 de janeiro, não consegue "identificar a existência de sinal estatisticamente significativo" a partir de dia 20.

Fim da seca ao sul, início a norte

O aumento esperado de precipitação em relação aos últimos 30 anos é uma boa notícia em particular para a região do Minho e Douro Litoral. Segundo o último boletim climatológico do IPMA essa região estava no final de novembro em "seca fraca".

Em contrapartida, as regiões do Baixo Alentejo e Algarve deixaram de estar em seca meteorológica, ou seja, com precipitação abaixo do que é normal.

Além do índice de seca, o Boletim Climatológico publicado na quarta-feira informa que o mês de novembro está classificado como muito quente em relação à temperatura do ar e normal em relação à precipitação.

De acordo com o boletim, o mês de novembro foi o 2.º mais quente desde 2000 e o 10.º mais quente desde 1931 (o mais quente foi em 1981).

O valor médio da temperatura média (13,68 graus Celsius) foi superior (1,31 graus) em relação ao normal.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG