Mulher morta à facada em Carrazeda de Ansiães. Suspeito detido no local

O companheiro da vítima é o presumível autor do crime, que ocorreu por volta das 08:00. A confirmar-se que este é mais um caso de violência doméstica trata-se da 30ª morte só este ano.

Uma mulher foi morta esta sexta-feira à facada em Samorinha, no concelho de Carrazeda de Ansiães. O presumível autor do crime foi detido no local e há o registo de um ferido, disse ao DN fonte do Comando Territorial da GNR de Bragança.

O crime ocorreu por volta das 08:00 na via pública. O detido será "presumivelmente" o companheiro da vítima mortal, que tinha 44 anos, refere a mesma fonte.

De acordo com o Jornal de Notícias, Albertina Veiga era cozinheira no restaurante da filha. A outra vítima, que ficou com ferimentos graves depois de também ter sido esfaqueada, trabalhava numas obras perto da aldeia de Samorinha.

"À chegada ao local deparámo-nos com dois feridos em estado grave. Um dos feridos era uma mulher, que acabou por falecer no local. A segunda vítima é um homem, que foi transportado por via terrestre para a Unidade Hospitalar de Vila Real", disse à Lusa o comandante dos bombeiros de Carrazeda de Ansiães, Abílio Félix.

O suspeito, segundo a fonte da GNR, tem 54 anos.

No local estiveram 12 operacionais, apoiados por cinco viaturas.

A investigação está agora entregue à Polícia Judiciária de Vila Real.

Caso se confirme que esta é mais situação de violência doméstica, Albertina Veiga será a 30ª vítima mortal deste ano, embora ainda não haja números oficiais, refere o Público. Ao jornal, a Procuradoria-Geral da República (PGR) refere que há pelo menos 23 vítimas do sexo feminino (incluindo uma criança) e seis vítimas do sexo masculino "com indícios seguros de morte ocorrida em violência domésticas". "Existem outros casos, designadamente com vítimas mulheres, que ainda não é possível assegurar com a necessária segurança que as mortes ocorreram em contexto de violência doméstica, aguarda-se que as investigações esclareçam os exatos contornos", acrescenta a PGR.

Em 2018, o Governo registou 39 homicídios que ocorreram num contexto de violência doméstica.

Exclusivos