Jovem de 14 anos terá sido violada por colega de 16 anos em Braga

Polícia Judiciária está a investigar e o Ministério da Educação está a acompanhar o caso, "ocorrido fora do recinto escolar". Alegado agressor terá publicado fotos no Instagram.

A Polícia Judiciária (PJ) está a investigar o caso de uma alegada violação de uma aluna de 14 anos por um colega de 16, junto à EB 2,3 de Celeirós, em Braga, disse esta terça-feira à Lusa fonte daquela força policial.

Segundo fonte da PJ de Braga, o caso ter-se-á registado na segunda-feira, tendo o alerta sido dado pelos responsáveis da escola.

O alegado agressor foi identificado pela GNR e o caso passou, entretanto, para a alçada da PJ. "O caso está em investigação", disse fonte da PJ, escusando-se a adiantar quaisquer outros pormenores.

Contactado pela Lusa, o Ministério da Educação disse está a acompanhar o caso, "ocorrido fora do recinto escolar".

"O Ministério da Educação acionou todos os instrumentos de apoio, estando a acompanhar o caso ocorrido fora do recinto escolar, quer através da coordenação com a Escola Segura da GNR, quer através da mobilização da psicóloga escolar", refere uma nota enviada à Lusa.

Segundo a nota, a Direção Geral dos Estabelecimentos Escolares está também em contacto com a direção da escola, "prestando o apoio necessário neste caso".

A Lusa tentou ouvir a direção da escola, mas sem sucesso.

Segundo o Jornal de Notícias, o caso foi detetado por uma auxiliar de ação educativa, que estranhou a forma combalida como a jovem regressou à escola. A menor estaria a chorar, com a roupa suja, apresentando várias escoriações. As autoridades foram chamadas e e confirmou-se que foi violada. O suspeito terá colocado fotos na sua conta de Instagram, onde a adolescente surge sempre nua. Nos comentários, o alegado agressor dizia ter consumado o ato sexual e que este tinha sido consentido.

Exclusivos