PSP detém seis homens por violência doméstica. Um matou companheira

A PSP deteve, nos últimos cinco dias, no distrito de Lisboa, seis homens pelos crimes de violência doméstica, tendo um dos casos culminado na morte da vítima.

Uma mulher morreu na sequência de maus tratos por parte do companheiro que foi detido pela Polícia de Segurança Pública. De acordo com esta polícia o homem, de 44 anos, foi detido na passada quinta-feira, na freguesia da Penha de França, em Lisboa, pelo crime de violência doméstica. Em comunicado, a PSP revela que as agressões aconteciam, pelo menos, desde 2017, "havendo episódios praticados na presença do filho de ambos". O suspeito já foi presente a tribunal, tendo-lhe sido aplicada a medida de coação de prisão preventiva.

Na terça-feira da semana passada, a PSP deteve na mesma freguesia um homem de 61 anos que exercia violência doméstica sobre o pai, de 88 anos, "por vezes com extrema agressividade". Depois de presente a tribunal, o homem foi internado numa instituição.

Nesse mesmo dia, na freguesia lisboeta de Alcântara, foi detido um homem, de 40 anos, com base numa situação de violência doméstica praticada em maio passado. "Na altura, o suspeito agrediu a vítima com um pau, nos membros inferiores tendo-lhe causado fraturas na tíbia e no perónio", indicou a PSP, acrescentando que o homem ficou em prisão preventiva.

Na sexta-feira, a polícia deteve um indivíduo de 40 anos, em São João da Talha (concelho de Loures), pouco depois de ter "agredido a vítima e partido tudo o que se encontrava no interior do quarto, na presença dos três filhos" da mulher. "Um deles foi acometido de doença súbita e transportado ao Hospital de Santa Maria", indicou a PSP. O suspeito foi presente a tribunal, tendo-lhe sido aplicada a medida de coação de termo de identidade e residência.

No sábado, na freguesia da Estrela, em Lisboa, foi detido um homem, com 41 anos, que agrediu a ex-mulher, com quem teve um relacionamento de 15 anos e de quem se encontrava separado há um mês.

"O suspeito, que se tinha deslocado à residência da vítima para visitar um filho de ambos, reagiu com agressividade e agrediu a mesma, ao mesmo tempo que visionava os telemóveis para verificar as chamadas da vítima. Esta fugiu para o interior da sua viatura, altura em que o suspeito lhe furou os pneus dianteiros com uma faca, não impedindo contudo que a mesma se deslocasse em direção à Esquadra da PSP onde ficou em segurança", lê-se no comunicado.

Ao suspeito foi-lhe aplicada a medida de coação de termo de identidade e residência e a proibição de contacto com a vítima.

Na segunda-feira, em Vila Franca de Xira, foi detido um homem, com 46 anos, por "reiteradamente agredir e perseguir a sua ex-companheira, danificando bens materiais pertencentes à vítima". Frisando que, desde quinta-feira passada, a PSP "foi acionada por seis vezes e prestou acompanhamento e a segurança necessária" à mulher, a polícia refere que o suspeito ficou proibido de se aproximar da vítima.

Exclusivos

Premium

história

A América foi fundada também por angolanos

Faz hoje, 25 de agosto, exatos 400 anos que desembarcaram na América os primeiros negros. Eram angolanos os primeiros 20 africanos a chegar à América - a Jamestown, colónia inglesa acabada se ser fundada no que viria a ser o estado da Virgínia. O jornal The New York Times tem vindo a publicar uma série de peças jornalísticas, inseridas no Project 1619, dedicadas ao legado da escravatura nos Estados Unidos. Os 20 angolanos de Jamestown vinham num navio negreiro espanhol, a caminho das minas de prata do México; o barco foi apresado por piratas ingleses e levados para a nova Jamestown. O destino dos angolanos acabou por ser igual ao de muitos colonos ingleses: primeiro obrigados a trabalhar como contratados e, ao fim de alguns anos, livres e, por vezes, donos de plantações. Passados sete anos, em 1626, chegaram os primeiros 11 negros a Nova Iorque (então, Nova Amesterdão) - também eram angolanos. O Jornal de Angola publicou ontem um longo dossiê sobre estes acontecimentos que, a partir de uma das maiores tragédias da História moderna, a escravatura, acabaram por juntar o destino de dois países, Angola e Estados Unidos, de dois continentes distantes.