Triatleta desaparecido encontrado morto com sinais de violência

Luís Miguel Grilo estava desaparecido desde 16 de julho. Anteontem, a polícia encontrou o corpo de um homem a 134 quilómetros do local de onde vivia - tinha sinais de homicídio. Identidade foi confirmada

Um corpo de um homem foi encontrado na quinta-feira, na estrada municipal 1070, perto de Alcórrego, em Avis, Portalegre, e, segundo o Jornal de Notícias, existiam suspeitas de que se trata de Luís Miguel Grilo, triatleta amador e engenheiro informático, de 50 anos, desaparecido desde 16 de julho. Já este domingo, o DN conseguiu confirmar que era mesmo Luís Miguel Grilo.

O triatleta residia em Cachoeiras, Vila Franca de Xira, a 134 quilómetros do local onde foi encontrado o corpo. Agora, adianta o JN, a Polícia Judiciária aguarda os resultados da autópsia, realizada no Instituto de Medicina Legal de Portalegre.

O cadáver encontrava-se em avançado estado de decomposição, sem roupa e com um saco na cabeça, existindo fortes suspeitas de homicídio. Segundo o JN, o crime terá acontecido num local diferente daquele onde foi encontrado o corpo, tendo depois sido deslocado.

Quem deu o alerta foi um popular, que fazia uma caminhada naquele local e sentiu o cheiro do cadáver, o que o levou a chamar as autoridades.

Luís Miguel Grilo desapareceu no dia 16 de julho, depois de ter saído de casa por volta das 16.30 informando a mulher de que iria fazer um treino. Dois dias depois, as autoridades encontraram o telemóvel do triatleta, a seis quilómetros de casa. Embora estivesse desligado, foi possível reconstituir os passos que tinha dado através do GPS.

Ao fim de alguns dias de buscas, a GNR encerrou o caso, que passou para a Polícia Judiciária, por existirem suspeitas de crime.

Notícia atualizada às 15.30 para incluir confirmação da identidade do corpo encontrado.

Ler mais

Exclusivos