Padre português suspenso no Canadá por suspeita de abusos sexuais

Segundo o Observador, o padre teve um filho de uma catequista com quem se envolveu quando esta ainda era menor, também foi suspenso da Diocese de Vila Real.

Um padre português no Canadá foi suspenso pela Diocese de Hamilton, no Ontário, por suspeita de abusos sexuais, avançou hoje um jornal local.

O Hamilton Spectator diz que o padre Heitor Antunes, de 49 anos, está suspenso desde o dia 4 de março dos seus deveres na Igreja de Santa Maria, no norte de Hamilton, pela suspeita de "abusos sexuais", tendo abandonado no dia 8 a residência oficial localizada na Park Street North.

Segundo uma reportagem do jornal Observador, o padre, que teve um filho de uma catequista com quem se envolveu quando esta ainda era menor, também foi suspenso da Diocese de Vila Real.

O alegado envolvimento amoroso ter-se-ia iniciado quando a jovem tinha 14 anos (hoje com 29) e o sacerdote 34.

Ainda segundo o Observador, que cita "uma fonte ligada à diocese", o padre foi para o Canadá depois dos factos em causa.

Neste país, o sacerdote exercia junto de comunidades de emigrantes portugueses, mas recebeu ordens da diocese para regressar a Portugal, estando impedido de celebrar.

A Diocese de Hamilton desconhecia o passado de Heitor Antunes, confirmando que teve conhecimento apenas através do texto publicado em Portugal, tendo questionado o padre no dia 02 de março.

"Informámo-lo que, devido à natureza dos factos, seria suspenso imediatamente das funções ministeriais nesta diocese", declarou monsenhor Murray Kroetsch, vigário-geral da diocese.

O responsável da diocese adiantou que "aconselhou Heitor Antunes a regressar a Portugal" e a resolver a situação.

"Se estas acusações forem falsas e o teu nome ficar limpo, teremos de ver o que sucede. Um padre ter uma criança é uma falta de moral, é um pecado, mas pode perdoar-se, não é um crime", salientou.

Os factos em causa, a indiciarem a prática de qualquer crime, já estarão prescritos para a justiça civil.

Hamilton, onde vivem cerca de 20 mil portugueses e lusodescendentes, está localizada no oeste do lago Ontário, a 70 quilómetros do sul de Toronto.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Opinião

Os aspirantes a populistas

O medo do populismo é tão grande que, hoje em dia, qualquer frase, ato ou omissão rapidamente são associados a este bicho-papão. E é, de facto, um bicho-papão, mas nem tudo ou todos aqueles a quem chamamos de populistas o são de facto. Pelo menos, na verdadeira aceção da palavra. Na semana em que celebramos 45 anos de democracia em Portugal, talvez seja importante separarmos o trigo do joio. E percebermos que há políticos com quem podemos concordar mais ou menos e outros que não passam de reles cópias dos principais populistas mundiais, que, num fenómeno de mimetismo - e de muito oportunismo -, procuram ocupar um espaço que acreditam estar vago entre o eleitorado português.