Incêndios de "extrema violência" na zona Centro fizeram já 30 feridos

Balanço provisório feito pela Proteção Civil. Há várias casas atingidas pelas chamas, mas ainda não se sabe quantas

Os fogos que consomem floresta na zona Centro do País já fizeram 30 feridos, foi este domingo ao início da noite divulgado pelo comandante operacional da Proteção Civil para o centro-sul, Luís Belo Costa, no briefing à imprensa em que fez o ponto de situação dos incêndios.

O trabalho dos operacionais no terreno foi esta tarde dificultado pela "rotação do vento e aumento de temperatura", segundo este responsável. "Passámos a ter ignições em sítios onde as forças de combate estavam menos preparadas", admitiu o comandante operacional do agrupamento distrital do centro-sul da da Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANEPC).

Luís Belo Costa descreveu o incêndio como "muito grave" e de "extrema violência", havendo também "registo de habitações atingidas", não se sabendo exatamente quais. "Não temos ainda levantamento destas situações", afirmou.

Desde sábado que várias frentes de fogo consomem floresta no distrito de Castelo Branco -- Vila de Rei e Sertão -- tendo as chamas alastrado até Mação (distrito de Santarém). Não está afastada a possibilidade de entrarem no concelho de Proença-a-Nova, que está de prevenção.

Belo Costa adiantou ainda que estiveram mobilizados 14 meios aéreos para combater as chamas durante o período de máximo empenhamento e que, neste momento, no incêndio de Vila de Rei e Mação estão no terreno 839 operacionais da proteção civil apoiados por 296 viaturas.

Com Lusa

Exclusivos