Dia de incêndios: 150 bombeiros em Oliveira de Azeméis e A28 cortada

Estão ativos no país 29 incêndios, que mobilizavam 433 operacionais, 133 meios terrestres e cinco aéreos.

Um meio aéreo está a reforçar o combate ao incêndio na freguesia de Pinheiro da Bemposta, concelho de Oliveira de Azeméis, distrito de Aveiro, que às 09:25 já mobilizava 167 operacionais, com o apoio de 51 veículos, de acordo com informação disponível no site da Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC).

O fogo, cujo alerta foi dado às 03:32 desta terça-feira, é o maior no país. No entanto há mesma hora, a ANPC registava um total de 29 incêndios ativos (com ocorrências em aberto), que mobilizavam 433 operacionais, 133 meios terrestres e cinco aéreos.

Estão em curso 12 fogos, que mobilizavam 284 operacionais, com o apoio de 86 meios e quatro meios aéreos. Seis fogos estão em resolução e onze em fase de conclusão.

Também na localidade de Curvos, no concelho de Esposende, há um incêndio que às 9:30 mobilizava 44 operacionais e 13 viaturas. Este fogo obrigou ao corte da autoestrada A28 nos dois sentidos devido ao fumo.

Risco muito elevado de incêndio em 22 concelhos

A subida das temperaturas tem provocado nos últimos dias vários incêndios no território nacional. Para esta terça-feira, há 22 concelhos em risco muito elevado de incêndio nos distritos de Faro, Castelo Branco, Portalegre, Santarém, Viseu e Bragança. Destaca-se o concelho de São Brás de Alportel, em Faro, que apresenta risco máximo de incêndio esta terça-feira, segundo a informação disponível no site do Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA).

Na segunda-feira, a Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC) emitiu um aviso à população sobre o perigo de incêndio rural, devido ao registo das temperaturas acima do habitual para a época (25º C e 28º C para as regiões centro e sul e entre 20ºC e 25ºC no norte) e "acentuado aumento da intensidade do vento". Aviso este que se mantem até esta quarta-feira, pelo menos.

A Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC) registou entre 1 de janeiro e 17 de março 1344 incêndios, que provocaram 1608 hectares de área ardida. Segundo a ANPC, a maior parte da área ardida provocada por estes incêndios de inverno foi em matos, 1.192 hectares, seguido de povoamentos (382) e de agricultura (34).