Câmara do Porto recebe quartel para criar habitação de renda acessível

Espaço do Monte Pedral, com 25 mil metros quadrados, dará origem a grande empreendimento de habitação de renda acessível

O presidente da Câmara do Porto pretende lançar um empreendimento habitacional de renda acessível no espaço do quartel do Monte Pedral, no centro da cidade, cuja devolução ao município é hoje aprovada pelo governo. O anúncio será feito esta quinta-feira por Rui Moreira, após a aprovação em conselho de ministros.

O quartel estava sem utilização pelas Forças Armadas e a sua cedência era uma pretensão antiga da autarquia portuense. Rui Moreira convocou para as 14.30 uma conferência de imprensa em que, sem dar a conhecer o assunto na convocatória enviada, diz que se trata " de um importante projeto para a cidade, que resulta de um acordo histórico com o Governo". De acordo com o Jornal de Notícias, Moreira irá apresentar o maior programa de habitação com arrendamento acessível do país.

O espaço do Monte Pedral tinha sido cedido ao Ministério da Guerra no início do século XX. São duas parcelas onde foi instalado um quartel de cavalaria, entre as ruas da Constituição e de Serpa Pinto. Atualmente estava sem utilização o que levou a Câmara a pedir a sua devolução.

Em novembro, o assunto foi debatido na Assembleia Municipal do Porto e foi aprovada uma moção, em que se instava o governo a devolver o espaço até ao final do ano. Rui Moreira também escreveu ao novo ministro da Defesa, João Gomes Cravinho. Nessa moção era referido que o projeto de construção pode ter até 400 habitações destinadas à classe média.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Ferreira Fernandes

A Europa, da gasolina lusa ao palhaço ucraniano

Estamos assim, perdidos algures entre as urnas eleitorais e o comando da televisão. As urnas estão mortas e o nosso comando não é nenhum. Mas, ao menos, em advogado de Maserati que conduz sindicalistas podíamos não ver matéria de gente rija como cornos. Matéria perigosa, sim. Em Portugal como mais a leste. Segue o relato longínquo para vermos perto.Ontem, defrontaram-se os dois candidatos a presidir a Ucrânia. Não é assunto irrelevante apesar de vivermos no outro extremo da Europa. Afinal, num canto ainda mais a leste daquele país há uma guerra civil meio instigada pelos russos - e hoje sabemos, como não sabíamos ainda há pouco, que as guerras de anteontem podem voltar.

Premium

Marisa Matias

Greta Thunberg

A Antonia estava em Estrasburgo e aproveitou para vir ao Parlamento assistir ao discurso da Greta Thunberg, que para ela é uma heroína. A menina de 7 ou 8 anos emocionou-se quando a Greta se emocionou e não descolou os olhos enquanto ela falava. Quando, no final do discurso, se passou à ronda dos grupos parlamentares, a Antonia perguntou se podia sair. Disse que tinha entendido tudo o que a Greta tinha dito, mas que lhe custava estar ali porque não percebia nada do que diziam as pessoas que estavam agora a falar. Poucos minutos antes de a Antonia ter pedido para sair, eu tinha comentado com a minha colega Jude, com quem a Antonia estava, que me envergonhava a forma como os grupos parlamentares estavam a dirigir-se a Greta.

Premium

Margarida Balseiro Lopes

O governo continua a enganar os professores

Nesta semana o Parlamento debateu as apreciações ao decreto-lei apresentado pelo governo, relativamente à contagem do tempo de carreira dos professores. Se não é novidade para este governo a contestação social, também não é o tema da contagem do tempo de carreira dos professores, que se tem vindo a tornar um dos mais flagrantes casos de incompetência política deste executivo, com o ministro Tiago Brandão Rodrigues à cabeça.