ASAE apreende 30 mil euros de artigos contrafeitos para serem vendidos nas redes sociais

A operação decorreu em Riba d'Ave, Lousada e Freamunde e foram detidas três pessoas suspeitas de transacionarem os artigos através do Facebook e do Instagram

Uma operação da ASAE em Riba d'Ave, Lousada e Freamunde levou à apreensão de cerca de sete mil artigos contrafeitos, no valor de aproximadamente 30 mil euros, que se destinavam à venda através das redes sociais Facebook e Instagram.

De acordo com um comunicado divulgado esta sexta-feira, aquela autoridade, através da Unidade Nacional de Informações e Investigação Criminal, realizou vários mandados de busca durante a semana passada, dos quais cinco em domicílios e outras sete a viaturas e a um apartado dos CTT que era utilizado na expedição de artigos.

Além do crime de contrafação foram também investigados alegados crimes de branqueamento de capitais, tendo em conta o elevado volume de negócios alegadamente dirigidos por três indivíduos que foram constituídos arguidos e sujeitos à medida de coação de termo de identidade e residência.

Entre as apreensões registam-se peças de vestuário, calçado, aplicações e acessórios, bem como um telemóvel. um tablet, dois carimbos utilizados para as encomendas, documentos e diversos talões dos CTT, que servem de prova do envio da mercadoria transacionada para todo o país. Foram ainda apreendidos dois mil euros em numerário.

A operação identificou ainda, durante as buscas, três novas páginas de Instagram que estavam a ser utilizadas para comercializar os artigos contrafeitos, sendo que uma delas foi desativada e outras duas bloqueadas.

Uma das intervenções da ASAE foi numa fábrica em Fafe, onde foi detetada a produção de artigos têxteis de marcas registadas em flagrante delito, entre os quais 435 calças de ganga, 166 cortes, cerca de onze mil aplicações com marca, 3700 etiquetas e quatro máquinas de costura industriais, além dos ficheiros informáticos onde estavam os modelos de costura.

Exclusivos