Ana Gomes questiona ministra da Justiça por causa de hacker Rui Pinto

Um grupo de eurodeputados insiste na criação de normas que permitam proteger denunciantes de casos de corrupção e de evasão fiscal em Portugal, como já acontece na União Europeia.

A eurodeputada socialista Ana Gomes e outros deputados do Parlamento Europeu enviaram uma carta à ministra da Justiça portuguesa, Francisca Van Dunem, esta terça-feira, a pedir uma reunião. O encontro tem como objetivo "discutir o progresso feito pelas autoridades judiciais na investigação dos crimes financeiros em Portugal revelados pelo Football Leaks".

A carta surge na sequência da detenção do hacker Rui Pinto, 30 anos, - em prisão preventiva em Portugal desde março - por acesso ilegítimo, violação de segredo, ofensa a pessoa coletiva e tentativa de extorsão pela divulgação de documentos confidenciais como contratos de jogadores.

Para o grupo de deputados, a informação divulgada por Rui Pinto "tem interesse público" e por isso defendem a criação de normas que permitam proteger denunciantes de casos de corrupção e de evasão fiscal na União Europeia (UE). Nomeadamente, a aplicação em Portugal da recém criada diretiva do Parlamento Europeu (16 de abril), que estabelece um regime de cooperação entre o acusado e as instituições europeias sob forma de atenuar ou anular a pena. Na carta, é ainda lembrado que já existem dez países onde este regime é aplicado.

"Nós esperamos sinceramente que o Rui Pinto seja libertado brevemente, que lhe seja permitido preparar o seu julgamento e cooperar livremente", pode ler-se no documento.

O "Football Leaks" divulgou informações secretas dos sistemas informáticos do Sporting Clube de Portugal (SCP) e do fundo de investimento 'Doyen Sports' - sedeado em Malta. Foram tornados publicos contratos de jogadores do SCP e do então treinador Jorge Jesus ou celebrados entre a 'Doyen' e várias sociedades anónimas ligadas ao futebol.

Exclusivos