Fogo de Alvaiázere que se aproximou de casas está em fase de resolução

O fogo, que teve início num povoamento florestal na localidade de Bemposta, na freguesia de Almoster, chegou a estar próximo de habitações em Aldeia Nova, no concelho de Alvaiázere

O incêndio que deflagrou esta tarde em Alvaiázere, no distrito de Leiria, está em fase de resolução disse à Lusa fonte do Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS).

O fogo, que teve início pelas 16:18 num povoamento florestal na localidade de Bemposta, na freguesia de Almoster, chegou a estar próximo de habitações em Aldeia Nova, no concelho de Alvaiázere, confirmou ao DN fontes do Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Leiria.

À Lusa, também fonte do CDOS avançou que apesar da proximidade, as casas não estiveram em perigo.

O distrito foi esta tarde assolado por vários incêndios, mas este era "o mais grave", segundo a mesma fonte.

O fogo, que deflagrou num povoamento florestal, foi alimentado pelo vento, que dificultou o trabalho dos bombeiros e dos meios aéreos.

O alerta de incêndio foi dado às 16.18. Às 20:50, ainda estavam no terreno 333 operacionais, 103 veículos e um meio aéreo, segundo a página da Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil.

Incêndio de Forno de Algodres "controladíssimo" em 90%

Entretanto, noutro ponto da zona Centro, o combate ao incêndio que lavra em Algodres, no concelho de Fornos de Algodres, no distrito da Guarda, está a decorrer favoravelmente, estando "controladíssimo" em 90%, disse à agência Lusa fonte autárquica.

O vereador Bruno Costa, com o pelouro das Florestas da Câmara Municipal de Fornos de Algodres, disse à Lusa, pelas 18:30, que "90% do fogo está controladíssimo", havendo apenas receios devido à eventual mudança da direção do vento.

Segundo o autarca, até ao momento, "não houve nenhuma habitação que tenha sido atingida pelo fogo", que destruiu "essencialmente mato".

As chamas têm estado confinadas "à zona da Barroca de Algodres, porque houve uma resposta célere dos meios" envolvidos no seu combate, disse Bruno Costa.

Fonte do Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) da Guarda disse à agência Lusa que, durante o combate às chamas, um bombeiro sofreu ferimentos ligeiros, devido a um entorse num pé, e outro também ficou ligeiramente ferido "com um traumatismo num membro inferior".

(Em atualização)

Exclusivos