Conselho Estratégico coloca uma "imensidão de futuro" na agenda do Portugal Mobi Summit

Os parceiros da grande cimeira de mobilidade selecionaram uma grande diversidade de temas para abarcar as evoluções e as tendências mais recentes.

Na contagem decrescente para o Portugal Mobi Summit, faz todo o sentido olhar para o programa desta cimeira que irá preencher os dias 24 e 25 de outubro na Nova SBE, em Carcavelos, na cidade de Cascais. Quem se der ao trabalho, é capaz de se sentir um pouco desorientado com a multiplicidade de temáticas que tem na mobilidade o ponto de partida e de chegada. Há muito por onde escolher e o problema é precisamente esse. Mas, se o objetivo é refletir os tempos de hoje, então, esses temas terão mesmo de ser variados. Só assim conseguirão responder a desafios que vão muito além da tradicional forma de sair de casa, agarrar no carro e chegar ao trabalho, ao cinema ou à reunião de negócios.

Foi para traduzir toda essa complexidade que o Conselho Estratégico do Portugal Mobi Summit se sentou ontem pela terceira e última vez à volta da mesma mesa, no campus da Nova SBE. Na agenda de trabalho esteve não só o balanço das sessões decorridas ao longo dos últimos meses em Ovar, Setúbal e Faro, como também os acertos finais da grande cimeira que irá juntar os maiores especialistas em mobilidade do panorama nacional e internacional.

"Os temas abordados abarcam questões centrais do presente, mas sobretudo do futuro, explica João Mateus, diretor de relações institucionais do CEiiA - Centro de Engenharia e Desenvolvimento de Produto. Cidades inteligentes, transportes públicos, partilhados ou de mercadorias, a transição energética, a produção do hidrogénio e os desafios ambientais, as soluções digitais, a economia circular, há uma "imensidão de futuro" para debater nesta cimeira, assegura o responsável, destacando os desafios ligados à mobilidade sustentável e, consequentemente, "descarbonizada e tecnológica".

Os temas, portanto, são os mais atuais para deste modo conseguir traduzir as evoluções e as tendências tecnológicas que aconteceram sobretudo nos últimos dois anos, conta Nuno Serra, diretor de marketing da Volkswagen. E é por isso que o debate à volta da mobilidade estará "muitos passos à frente" do que foram até agora os eventos semelhantes organizados no passado: "A Volksvagen contará com uma forte presença internacional que explicará todo o envolvimento da marca neste campo da mobilidade sustentada", explica Nuno Serra, prometendo algumas surpresas para a cimeira. "Não posso falar muito sobre isso", justifica o diretor de marketing, deixando escapar, contudo, que o segredo terá algo a ver com o "carro do futuro" ao vivo e a cores nos palcos da Nova SBE.

Tendo a preocupação em preparar "muito bem" a agenda da cimeira, o Conselho Estratégico do Mobi Summit acredita que os dois dias em que decorrem a cimeira vão ser suficientes para explorar vertentes "muito distintas", das dos anos anteriores. "Vamos ter um evento mais completo com temas ainda pouco debatidos, mas muito relevantes, como os transportes de mercadorias ou os transportes de pessoas dentro e fora das cidades", expliica Gustavo Monteiro, administrador da EDP Comercial.

Nesta fase, já é possível perceber que não haverá muitas semelhanças com as edições anteriores da Mobi Summit. Essa é aliás a grande vantagem para agarrar um tema que está em constante mudança, diz Franco Caruso, diretor de comunicação da Brisa: "Penso que estamos perante um programa verdadeiramente estimulante com oradores conhecidos, outros menos conhecidos, mas muito relevantes e, ainda, com uma componente internacional que me deixa muito satisfeito porque já não se trata do Lisbon Mobi Summit, mas sim do Portugal Mobi Summit", rematou.

Exclusivos