Condenado a pagar 2200 euros por agressão a árbitro em jogo de infantis

Homem de 48 anos fica ainda proibido de entrar em recintos desportivos durante um ano e três meses. Agressão ocorreu em jogo disputado na Marinha Grande, em 2017.

Foi no final de um jogo de futebol de infantis que o homem de 48 anos entrou no relvado e agrediu o árbitro. Mais de dois anos depois, o tribunal da Marinha Grande condenou-o, pelos crimes de invasão de área de espetáculo desportivo e ofensa à integridade física qualificada, a multas de 1200 euros - além de ainda ficar obrigado a pagar uma indemnização de 1000 euros ao árbitro. A sentença determinou ainda que fica proibido de frequentar recintos desportivos durante um ano e três meses.

Pela prática do crime de invasão da área do espetáculo desportivo, o Juízo de Competência Genérica da Marinha Grande condenou o homem na pena de 120 dias de multa, à taxa diária de 6 euros (o que dá 720 euros), e na pena acessória de interdição de acesso a recintos desportivos, pelo período de 1 ano e 3 meses.

O Tribunal condenou também o arguido pelo crime de ofensa à integridade física qualificada, na pena de 6 meses de prisão, substituída pela pena de 80 dias de multa, à taxa diária de 6 euros (480 euros), revela uma nota do Ministério Público da Comarca de Leiria.

"No essencial, resultou provado que, em março de 2017, no Campo de Futebol da Portela, sito na Marinha Grande, logo após o fim de um jogo de futebol do escalão infantil, o arguido introduziu-se naquele recinto desportivo e dirigiu-se ao árbitro, agarrando-o pelos colarinhos da camisola e pelo pescoço, abanando-o, tendo sido impedido de continuar por terceiros, que foram em seu auxílio, após o que o arguido ainda tentou voltar a aproximar-se do mesmo", explica o comunicado.

O arguido foi, ainda, condenado a pagar uma indemnização de 1000 euros, por danos morais, ao árbitro ofendido. Somando as condenações a multas e a indemnização, o homem terá de pagar 2200 euros.

A sentença já transitou em julgado, num inquérito que foi dirigido pelo Ministério Público da unidade local da Marinha Grande do DIAP Leiria, coadjuvado pela PSP da Marinha Grande.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG