Concerto de rock em igreja causa indignação

O espetáculo na Igreja de São Sebastião, em Cem Soldos, inserido no Festival Bons Sons, está a causar polémica. Bispo afirmou não ter tido conhecimento do concerto

Enquanto se ouve a música do projeto de Homem em Catarse, do músico Afonso Dorido, vê-se o público a cantar, a aplaudir na Igreja de São Sebastião, na aldeia de Cem Soldos. O vídeo do concerto de rock foi difundido nas redes sociais e está indignar vários fiéis. O próprio bispo, da diocese de Santarém, admitiu que o espetáculo, inserido no Festival Bons Sons, não era apropriado, avança a edição desta segunda-feira do jornal I .

O vídeo do concerto de rock foi partilhado a 17 de agosto e nele vê-se e ouve-se o espetáculo do músico Afonso Dorido, a tocar guitarra elétrica num palco, situado no altar. O concerto realizou-se a 11 de agosto e vídeo tem mais de 15 mil visualizações e a polémica está instalada.

"Que horror... Mas o que é que está a dar aos padres? Está tudo louco? Que coisa é esta? E ninguém fez nada?", lê-se num dos comentários da página de Facebook Senza Pagare, que descreve o concerto como tendo sido um "Woodstock na igreja". "A paróquia de S. Sebastião em Cem Soldos (Tomar) foi palco de um concerto nada condizente com a sacralidade de uma igreja", lê-se na publicação que se fez acompanhar pelo vídeo do espetáculo. As reações não se fizeram esperar. "Podem ter a certeza que se eu visse uma palhaçada destas dentro da Casa de Deus teriam que se ver comigo, porque não deixaria esta palhaçada continuar", diz um dos comentários. "Mau gosto infinito e real vergonha", escreveu ainda outro católico.

As criticas dos fiéis em páginas e grupos católicos levou a diocese de Santarém a emitir um comunicado, no qual esclarece que o bispo não teve "conhecimento prévio" do uso da igreja para espetáculos da edição deste ano do festival, que decorreu entre 9 e 12 de agosto. "Este ano, o concerto de música (...), provocou várias observações de escândalo que chegaram de várias partes do país e do estrangeiro", refere a nota da diocese, publicada no Facebook.

No documento, a diocese adianta ainda que o espetáculo viola as regras do Vaticano sobre concertos em igrejas e que a atuação do projeto Homem em Catarse não foi adequada tendo em conta o espaço onde se realizou. "Não é legítimo programar numa igreja a execução de uma música que não é de inspiração religiosa e que foi composta para ser interpretada em contextos profanos precisos, quer se trate de música clássica ou contemporânea, erudita ou popular".

Padre deu autorização e desvaloriza polémica

No comunicado, a diocese de Santarém também se refere ao comportamento do público."Além do tipo de música permitido nas igrejas, é preciso que não se desvirtue um ambiente propício à oração pessoal e comunitária, ao silêncio e ao cultivo da dimensão espiritual. Por isso, nos concertos, ouvintes e executantes devem, nos seus comportamentos e apresentação, respeitar o caráter sagrado do lugar", lê-se.

Ao jornal I, o padre Luís Martinho afirmou ter dado autorização para a utilização da igreja por parte da organização do Festival Bons Sons deste ano, como em edições anteriores. "E tem corrido tudo bem. É uma polémica em torno de um único concerto numa lista de muitos outros", desvalorizou e admitiu que não informou "oficialmente" a diocese.

Espetáculo de dança em igreja choca vereadores

No mês passado, um espetáculo de dança na Igreja da Misericórdia, em Leiria, foi alvo de críticas por autarcas do PSD. A polémica chegou à reunião de câmara com os vereadores social-democratas a considerarem o espetáculo como "impróprio" e "lascivo". A atuação em causa aconteceu em abril passado e estava inserida no Metadança 2018. "A Igreja da Misericórdia não é um espaço público e profano qualquer" e "não pode ser utilizado para fins considerados contra os princípios da moral e da ética cristãs", considerou Fernando Costa, do PSD.

"Não houve nenhuma intenção de chocar qualquer tipo de religião", afirmou a Associação Cultural Metadança.

Exclusivos