Ambulâncias recusadas no Hospital de Setúbal por sobrelotação nas urgências

Urgências não receberam ambulâncias entre as 12.00 e as 16.30 deste domingo. Doentes foram encaminhados para outros hospitais.

O Hospital de São Bernardo, em Setúbal, não recebeu ambulâncias durante a tarde de domingo, obrigando a que os doentes fossem transportados para outros hospitais da região. Em causa esteve a sobrelotação do serviço de urgências, que se viu impedido de receber mais pessoas.

Segundo o Jornal de Notícias, a medida foi comunicada aos bombeiros ao meio dia, estando previsto manter-se até às 08.00 desta segunda-feira. No entanto, serviço voltou a aceitar as ambulâncias com doentes urgentes por volta das 16.30.

Contactada pelo JN, fonte do Centro Hospitalar de Setúbal confirmou que "verificou-se um constrangimento pontual", e pelas 16.30 horas "o serviço voltou a funcionar normalmente".

Já os bombeiros de Águas de Moura e os de Palmela disseram ter ficado surpreendidos por esta decisão ter sido apenas tomada este domingo, uma vez que os constrangimentos se têm verificado ao longo desta semana.

De acordo com o comandante dos Bombeiros de Palmela, Eduardo Martins, "tem sido hábito as ambulâncias ficarem retidas no hospital por falta de escoamento dos doentes que entram nas macas".

O comandante dos Bombeiros de Águas de Moura, Rui Laranjeira, adiantou ainda que "os serviços que deviam demorar uma hora têm demorado duas a três horas", pois as ambulâncias só podem sair do hospital com as macas que levam os doentes.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG