Aluno com meningite leva 500 pessoas a fazer medicação preventiva

Um aluno da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra está internado com meningite bacteriana. Apesar de só ter estado em contacto com cerca de 200 pessoas, mais de 500 quiseram tomar o medicamento preventivo.

Mais de 500 pessoas que poderão ter estado em contacto com um aluno da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra, diagnosticado com meningite bacteriana, estão a ser medicadas desde esta quinta-feira (5 de março), como forma de prevenção.

Apesar de terem sido identificadas apenas cerca de 200 (entre colegas e familiares) pela universidade, desde que foi divulgada a informação pela UC dispararam os pedidos para tomar o comprimido de Ciprofloxacina Megaflox 500 mg. Até ao início da tarde desta sexta-feira (6 de março) eram já mais de 500 os que chegaram aos serviços, soube o DN junto de fonte da universidade.

A necessidade de medidas profiláticas foi publicada ontem na página de facebook da FCTUC, através de uma nota informativa. "Um aluno do DEI (Departamento de Engenharia Informática), que participou no Typomania Festival, foi diagnosticado com meningite bacteriana. Este tipo de meningite é bastante contagioso e é necessário tomar imediatamente medidas preventivas", lê-se no comunicado da faculdade, aconselhando também "a todas as pessoas que estiveram na palestra e na inauguração da exposição Typomania a tomar um comprimido de Ciprofloxacina Megaflox 500 mg. Esta única toma deve feita até sexta-feira, o mais tardar".

"A comunicação foi feita de forma muito eficiente", disse ao DN o bolseiro da FCT Tiago Santos, um dos participantes na palestra "Rodchenko - Vodka - Typomania", a cargo do orador Alexander Vasin, onde também esteve presente o aluno entretanto diagnosticado com meningite bacteriana. Descansou-o o facto de lhe ter sido dito, de imediato, que "não há razão para pânico", e que em caso de dúvida deveria ser contactado diretamente o delegado de Saúde de Coimbra, o médico José Pereira de Almeida. De resto, o comunicado da FCTUC incluía o número de telemóvel daquele responsável. Tiago Santos não precisou de tanto. Bastou-lhe dirigir-se aos serviços e tomar o comprimido em causa, um fármaco que garante a profilaxia da doença.

O medicamento em causa (um antibiótico) foi disponibilizado gratuitamente no Departamento de Engenharia Informática e nos serviços médicos da Universidade de Coimbra.

Em declarações à TVI, esta sexta-feira, o reitor da UC, Amílcar Falcão, sublinhou que "o facto de os sintomas relatados pelo aluno serem idênticos aos do coronavírus facilitou o processo, uma vez que a universidade já estava em alerta".

O caso foi detetado na quarta-feira pela Unidade de Saúde Pública do Baixo Mondego. O aluno em causa permanece internado no Hospital da Universidade de Coimbra, e as últimas informações apontam para sinais de melhoria, e estado de saúde estável.

Apesar de se tratar de um tipo de meningite bastante grave e contagioso, "não há transmissão secundária - só se transmite a partir de pessoas com a doença já declarada", refere ainda o comunicado da FCT.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG