9787 alunos colocados na segunda fase de acesso ao ensino superior. Veja aqui se entrou

Nota mais alta foi em bioengenharia, onde o último colocado entrou com uma média de 19,58.

Cerca de 10 mil estudantes (9787) entraram na segunda fase do concurso nacional de acesso ao ensino superior público, mais de metade - 5253 - no ensino superior politécnico.

Foram 22 750 os candidatos que se apresentaram à segunda fase, a maior parte dos quais - 8027 - estudantes que não ficaram colocados na primeira. O que significa que foram agora colocados 43% dos candidatos.

Consulte aqui as listas completas da segunda fase de colocações

Clique aqui para descarregar a lista completa (folha Excel).

De acordo com os dados divulgados pelo ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, a nota mais alta do último colocado neste segundo período de candidaturas - 19,58 - foi em Bioengenharia na Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto, uma das mais concorridas da primeira fase, que colocou ainda dois alunos.

O top das classificações de acesso acompanha, aliás, de muito perto a tendência da primeira fase, quer em relação aos cursos, quer em relação às médias altíssimas. Depois de Bioengenharia surge o curso de Medicina na Universidade Nova de Lisboa, com uma única entrada nesta segunda fase, com uma média de 19,42. Ainda na ordem dos 19 valores ficaram as vagas disponíveis em Medicina na Universidade do Porto e da Beira Interior, bem como vários cursos de engenharia, quer da Universidade do Porto, quer do Instituto Superior Técnico da Universidade de Lisboa.

Já na parte inferior da tabela, houve nove cursos em que o último colocado teve uma média inferior a 10, o que acontece sobretudo em institutos politécnicos, mas também na Universidade de Évora (Ecologia e Ambiente) e da Madeira (Design).

Nesta segunda fase, 35% dos colocados conseguiram entrar na primeira opção, enquanto 22% ficaram na segunda e 17% na terceira. Face aos números do ano passado, a percentagem de candidatos que conseguiu ficar na primeira escolha caiu substancialmente - em 2019 foram 41%.

Nesta segunda fase, o Instituto Politécnico de Bragança era a instituição com mais vagas disponíveis (1372), seguido da Universidade de Lisboa (706). Quatro instituições do ensino superior já não tinham qualquer vaga para esta segunda fase - o ISCTE, em Lisboa, e as escolas superiores de enfermagem de Coimbra, Lisboa e Porto.

Consideradas as duas fases de acesso, há cerca de 54 mil novos estudantes no ensino superior, um aumento de 16% face a 2019.

Fechada a segunda fase, ficaram ainda disponíveis 4255 vagas para a 3.ª fase do Concurso Nacional de Acesso, cujas candidaturas vão decorrer de 22 a 26 de outubro.

Já a a matrícula e inscrição para os estudantes colocados na segunda fase realiza-se entre 15 e 19 de outubro.

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG