Trump vs. Biden. Segundo debate transforma-se em eventos rivais e vira guerra de audiências

Presidente e candidato democrata vão responder às perguntas de eleitores indecisos em dois eventos concorrentes à mesma hora em estações de televisão diferentes. É já na madrugada desta sexta-feira.

O presidente norte-americano, Donald Trump, e o adversário democrata, Joe Biden, vão responder esta quinta-feira à noite (já madrugada de sexta-feira em Lisboa) às perguntas de eleitores indecisos em direto. Mas, ao contrário do que estava previsto, não serão os mesmos eleitores nem será durante um debate. O frente-a-frente caiu por terra e agora haverá eventos rivais à mesma hora. Quem vai ganhar a guerra das audiências?

O diagnóstico de covid-19 de Trump poucos dias após o primeiro debate com Biden pôs em risco o segundo duelo entre ambos. Os planos para o debate sofreram um revés na semana passada quando o presidente -- que entretanto já estará recuperado -- recusou fazê-lo de forma virtual, com cada um dos candidatos num local diferente para evitar a transmissão do vírus.

O debate foi então cancelado pelos organizadores, mas nenhum dos dois candidatos quis perder a oportunidade de falar no prime-time (a hora de maior audiência) aos norte-americanos -- o primeiro debate foi visto por pelo menos 73 milhões de pessoas nos 16 canais que o transmitiram (e esse número não inclui aqueles que viram nos telemóveis ou ouviram através da rádio).

Assim, cada um responderá às perguntas dos eleitores indecisos, ao estilo de assembleia (town hall, em inglês), à mesma hora (20.00 na Costa Leste, 01.00 de sexta-feira em Lisboa) mas em estações de televisão diferentes. O evento com Biden deverá durar duas horas (o que inclui pelo menos 30 minutos de debate depois do town hall), enquanto o de Trump apenas uma (qualquer análise da estação será posterior).

Biden estará em Filadélfia, num evento ao ar livre no National Constitution Center, transmitido pela ABC e moderado por George Stephanopoulos. O ex-vice-presidente de Barack Obama tem sempre testado negativo à covid-19.

Já Trump estará em Miami (cidade onde deveria ter ocorrido o segundo debate), também ao ar livre no Museu de Arte Pérez, num town hall transmitido pela NBC.

O presidente ficará a uma distância de segurança da apresentadora, Savannah Guthrie, e o público usará máscaras. Isto apesar de a NBC ter recebido a informação do diretor do Instituto Nacional de Saúde, Clifford Lane, de que junto com o principal especialista em doenças infecciosas dos EUA, Anthony Fauci, tinha tido acesso a dados médicos de Trump e por isso, "com um alto grau de confiança", podia dizer que o presidente "já não terá capacidade para infetar ninguém".

Críticas à NBC

A estação está a ser criticada por ter aceitado o evento do presidente à mesma hora que o do candidato democrata, uma vez que isso tirará a possibilidade aos eleitores de assistirem aos dois.

Katie Couric, uma das mais conhecidas jornalistas da televisão norte-americana, que já trabalhou tanto para a ABC como para a NBC, resumiu no Twitter: "Ter um duelo de town halls é mau para a democracia. Os eleitores deviam poder ver ambos e acho que muitos não o vão fazer. Isto vai ser bom para Trump porque as pessoas gostam de ver a sua imprevisibilidade. Esta é uma má decisão. #votem".

A NBC responde que pôr Trump mais tarde não seria justo, já que o presidente poderia ter acesso a uma audiência maior do que Biden, que participou num evento do género na estação de televisão a 5 de outubro. Questionados sobre o porquê de não dar tempo de antena a Trump noutro dia, a NBC disse que a data foi escolha deles, já que o presidente tinha a agenda livre porque era suposto estar no debate.

O debate deveria ser também no formato town hall, ao contrário do primeiro que pôs os dois candidatos a responder às perguntas do moderador e acabou por ficar marcado pelas constantes interrupções de Trump a Biden e dos ataques entre ambos.

No passado, Trump não pareceu confortável neste formato. Mas como antiga estrela de reality shows, Trump irá focar-se nos números de audiências, querendo atrair mais pessoas que Biden -- o que é mais do que provável, já que o seu evento será transmitido também nas estações de televisão associadas MSNBC e CNBC, enquanto o da ABC será também transmitido na ABC

Segundo a média das sondagens do site RealClearPolitics, Biden está 9,2 pontos percentuais à frente de Trump a nível nacional, mas apesar de continuar 4,9 pontos à frente do presidente nos principais estados, a tendência é decrescente. De acordo com a análise do FiveThirtyEight, Biden tem 87 em 100 probabilidades de vencer a 3 de novembro.

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG