Sabe quem foi Sardar Patel? É dele a maior estátua do mundo

A Índia inaugura nesta quarta-feira uma construção com 182 metros de altura e 58 metros de base. A Estátua da Unidade tem o dobro do tamanho da Estátua da Liberdade.

Em outubro de 2013 Narendra Modi era ministro-chefe do estado de Gujarate quando presidiu à cerimónia da primeira pedra da Estátua da Unidade. "Quero que as pessoas de todo o mundo olhem para esta estátua tal como vão ver a Estátua da Liberdade nos Estados Unidos ou a Torre [Eiffel] de Paris", disse então.

Cinco anos depois, agora como primeiro-ministro da Índia, Modi inaugura a construção situada nas margens do rio Narmada, no seu estado natal.

O homem de ferro

A Estátua da Unidade é inaugurada no dia de nascimento do homenageado, Vallabhbhai Patel. Conhecido como Sardar Patel, foi um dos principais dirigentes da luta pela independência e da Índia pós-colonial. Desempenhou as funções de vice-primeiro-ministro (de Nehru), de ministro da Administração Interna e de comandante da Força Aérea entre 1947 e 1950, ano em que morreu.

Em 2014 o governo indiano estabeleceu o Rashtriya Ekta Diwas, o dia da unidade nacional, em sua honra. É feriado no estado de Gujarate

O seu papel enquanto unificador do país, ao convencer os rajás a cederem o seu poder à administração central, valeu-lhe o cognome de "homem de ferro". Um nome apropriado se tivermos em conta que, segundo a Reuters, a estátua é formada por 700 toneladas de ferro.

A construção da estátua empregou mais de quatro mil trabalhadores, divididos em dois turnos, e tem um custo estimado de 370 milhões de euros. No futuro incluirá um hotel e um museu, para atrair visitantes. O governo prevê 2,5 milhões por ano e a criação de 15 mil postos de trabalho.

Sem unidade

A estátua de Patel é também, nas palavras de Modi, "um símbolo da Índia a erguer-se". Mas nem todos estão de acordo com o projeto (segundo a ABC australiana, o próprio Patel seria o primeiro a vetar a ideia, pois era contra a construção de estátuas e de memoriais).

Os agricultores da região (setor principal da economia) são os principais contestatários. "Queremos perguntar ao governo: porque não podem financiar um projeto para apoiar os agricultores e melhorar os nossos padrões de vida?", disse Lakhan à BBC."Prometeram-nos água para irrigação, mas a situação continua na mesma."

Junto à estátua de Patel, os agricultores recorrem ao desvio ilegal de água. Um dos agricultores disse à BBC que instalou um cano subterrâneo e que é prática corrente na região. "Não temos outra opção senão desviar a água ilegalmente, pois não há fontes de água para nós."

Chotu Vasava, líder da comunidade local, queixou-se à AFP: "Não sou contra Sardar, mas qual é a utilidade da estátua se as pessoas sofrem e são obrigadas a mudar-se?" Segundo o governo de Gujarate, citado pela agência noticiosa francesa, 185 famílias tiveram de sair da área em que a estátua foi construída, tendo recebido em troca 475 hectares de terra.

Preocupadas com a possibilidade de se realizarem manifestações, as autoridades mobilizaram mais de cinco mil polícias para a cerimónia de inauguração.

Recorde tem prazo

A estátua de Sardar Patel é a maior do mundo, mas não por muito tempo. Também na Índia, mas na costa de Bombaim, numa ilha artificial, irá nascer uma estátua de Shivaji, o Chhatrapati (monarca) fundador do império Maratha, no século XVII.

O memorial, com inauguração prevista em 2021, vai ter 212 metros de altura e representar a figura histórica a cavalo e a brandir uma espada. À volta será construído um museu, uma praça de alimentação e um anfiteatro, num projeto orçado em 425 milhões de euros.

Também aqui já se levantaram vozes contra o projeto. "Isto é dinheiro dos contribuintes e tenho a certeza de que todos gostaríamos que fosse gasto em algo melhor, como educação, infraestruturas e alimentação", escreveu o jornalista Khrisma Upadhyay numa petição online que se opõe à ideia.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG