Recusou servir uma cliente que não tinha máscara e recebeu 75 mil dólares de 'gorjetas'

Lenin Gutierrez trabalha num Starbucks de San Diego, nos EUA. Com o dinheiro que recebeu garante que vai seguir o sonho de ser bailarino.

Lenin Gutierrez estava a servir ao balcão no Starbucks de San Diego, Califórnia, onde trabalha quando teve de chamar a atenção a uma cliente que não estava a usar máscara. O jovem empregado preparava-se para explicar as regras de segurança do local, depois de a cliente lhe garantir que "não precisava de uma", quando Amber Lynn Gilles começou a gritar-lhe uma série de insultos.

Depois de chamar "ovelhas" aos restantes clientes, por seguirem as ordens sem contestarem, Amber Lynn Gilles saiu do estabelecimento. E Lenin achou que a coisa ia ficar por aqui.

Mas não ficou. É que a cliente decidiu voltar uns minutos depois para perguntar como é que ele se chamava e tirar-lhe uma fotografia. "Disse mais uns palavrões", explicou o jovem num vídeo que colocou no Facebook.

Mais tarde, Lenin descobriu que a cliente colocara a sua fotografia no Facebook com a seguinte mensagem: "Este é o Lenen [assim, com gralha no nome] do Starbucks, que recusou atender-me porque eu não estava a usar máscara". E acrescentava: "Da próxima vez espero pela polícia e levo uma justificação médica".

Ouvida pela NBC7 de San Diego, Gilles garantiu não ter assediado ninguém e ainda ter recebido ameaças de morte depois do incidente. "Nunca o ameacei, só lhe chamei a atenção para os seus atos", garantiu, afirmando ter-se sentido "discriminada". "Estou frustrada. Começa com o café e acaba com certificados digitais obrigatórios", disse.

Mas aproveitando a foto de Lenin que Gilles colocou no Facebook, e a Internet sendo aquilo que é, depressa o incidente se tornou numa recolha de fundos a favor do empregado. A GoFundMe organizou esta esp​​​​écie de grande caça às gorjetas digital para "honrar o esforço de alguém que se tentou impor".

Quanto a Lenin Gutierrez, já tem destino para os 75 mil dólares (cerca de 67 mil eur0s) recolhidos até agora. O jovem que trabalha no Starbucks promete investir no seu verdadeiro sonho: a dança. Para já, dá aulas a crianças que espera serem tão inspiradas pela dança como ele.

No vídeo, garantiu que todo o "amor e apoio" que recebeu foram "uma grande ajuda" e mostrou-se surpreendido por um incidente que durou tão pouco ter tido repercussões tão grandes.

Outros conteúdos GMG