Quase 100 mortos após ingestão de álcool clandestino na Índia

Na Índia, 40% das bebidas alcoólicas são fabricadas ilegalmente. As autoridades detiveram 25 pessoas envolvidas na produção e venda.

Quase 100 pessoas morreram após a ingestão de álcool produzido em destilarias clandestinas no estado de Punjab, na Índia, informaram autoridades neste domingo. Os 98 mortos incluem 75 óbitos na cidade de Tarn Taran, em Punjab, disse Kulwant Singh, vice-comissário da administração regional.

A polícia prendeu 25 pessoas supostamente envolvidas na tragédia que começou na semana passada, segundo a agência Press Trust. A cada ano, centenas de pessoas morrem no país devido ao álcool produzido em destilarias clandestinas, vendido por apenas dez rúpias por litro.

"Algumas famílias negam-se a dar detalhes sobre os mortos e até os queimaram. Chegamos a este número depois de compilarmos as informações", disse Singh à AFP.

O primeiro-ministro do estado de Punjab, Amarinder Singh, disse na sexta-feira que ordenou uma investigação sobre as mortes e que "ninguém considerado culpado será perdoado".

Este caso ocorre depois de as autoridades do estado de Andhra Pradesh, no sudeste do país, anunciarem na sexta-feira a morte de nove pessoas que consumiram gel hidroalcoólico. As vítimas beberam o antibacteriana como substituto do álcool, cuja venda foi limitada durante o confinamento imposto pela pandemia de covid-19.

Cerca de cinco biliões de litros de bebidas alcoólicas são consumidos a cada ano na Índia, sendo 40% fabricados ilegalmente, de acordo com a Associação Indiana de Bebidas Espirituosas e Vinhos.

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG