Polícia usa gás lacrimogéneo contra manifestantes em Paris

Milhares de pessoas saíram à rua para protestar contra a lei da segurança global, que proíbe a publicação de imagens das forças policiais.

A polícia francesa respondeu esta tarde com gás lacrimogéneo aos manifestantes que protestam contra a lei da segurança global, em Paris, depois de terem sido atirados foguetes contra as forças policiais.

Milhares de pessoas saíram à rua este sábado em várias cidades francesas depois da aprovação do projeto de lei, proposta pelo presidente Emmanuel Macron à Assembleia Nacional. O diploma, que terá ainda de passar pelo Senado, estabelece que é proibido a jornalistas e a qualquer cidadão "filmar membros das forças de segurança com a intenção de prejudicar a sua integridade física ou mental". O incumprimento da lei é punível com um ano de prisão e 45 mil euros de coima.

O diploma tem sido alvo de inúmeras críticas e apontado como uma tentativa de limitar a liberdade de expressão, com os opositores da medida a sublinhar que nenhum dos incidentes que agitou a vida pública francesa nos últimos dias teria sido divulgado à luz da lei da segurança global. No início desta semana a divulgação de um vídeo em que se vê três polícias a agredir um produtor musical negro no seu estúdio veio incendiar ainda mais os ânimos e a contestação à lei. O presidente francês qualificou o episódio como "vergonhoso" e "inaceitável" e pediu ao Governo que apresente medidas para restabelecer a confiança entre os cidadãos e as forças de segurança.

Os três agentes foram, entretanto, suspensos.

Outro episódio recente prende-se com o desmantelamento de um acampamento improvisado de migrantes no centro de Paris, na última segunda-feira, em que as forças policiais foram também acusadas de violência contra migrantes e ativistas.

"Esta lei vem minar a liberdade de imprensa, a liberdade de informar e ser informado e a liberdade de expressão", acusaram os organizadores do protesto, citados pela AFP.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG