Novos casos em Itália superam os 5000 pela primeira vez desde março

A Itália registou 5.372 casos de contaminação com o novo coronavírus nas últimas 24 horas, um número apenas verificado no pico da primeira vaga da pandemia de covid-19, segundo dados do Ministério da Saúde.

O número de novas infeções diárias mais do que duplicou na última semana e confirma a tendência de agravamento da pandemia, verificada nos últimos dias.

As autoridades italianas, contudo, salientam que se estão a fazer agora muitos mais testes do que aqueles que eram realizados em março, tendo sido efetuados 129.500 nas últimas 24 horas.

No total, Itália registou 343.770 casos de infeção com o novo coronavírus desde o início da pandemia neste país, em 21 de fevereiro.

Nas últimas 24 horas, morreram 28 pessoas com covid-19, um número em linha com os verificados nos últimos dias, elevando o saldo provisório de óbitos para 36.111.

Embora a maioria dos doentes com covid-19 permaneça isolada nas suas casas, com sintomas leves ou sem eles, o número de internados está a crescer e já ultrapassa 4.000 (mais 190 desde quinta-feira), assim como o de doentes que necessitam de cuidados intensivos (387 em todo o país, 29 a mais do que na quinta-feira).

As regiões mais afetadas pela pandemia na Itália continuam a ser no norte, a Lombardia, Veneto e Emilia Romagna, embora os casos estejam a crescer em outras regiões no sul, como Lazio, cuja capital é Roma, ou Campânia, cuja capital é Nápoles.

Na Lazio, as medidas de segurança já foram reforçadas nas localidades perto de Roma e já foram proibidas festas e encontros com mais de seis pessoas.

O presidente da Campânia, Vincenzo De Luca, ameaçou confinar a região se esta tendência de agravamento continuar.

"Extrema pressão" sobre hospitais

O assessor do Ministério da Saúde italiano para questões relacionadas com a pandemia, Walter Ricciardi, anunciou que novas medidas de contenção estão a ser consideradas, devido ao aumento de casos nas últimas semanas.

"Estamos sob extrema pressão", disse, alertando que as vagas nos hospitais Covid-19 estão a esgotar-se nas regiões mais atingidas.

As novas infeções ainda estão bem atrás das registadas em Grã-Bretanha, França e Espanha, países que estão entre 12.000 e 19.000 casos em 24 horas. Mas Ricciardi diz que o aumento nos casos pode atingir esses níveis em Itália assim que o inverno começar e a gripe comum alastrar.

"Quando a gripe chegar, corremos o risco de ter 16 mil casos por dia", disse em entrevista à emissora Sky TG24.

"Estou muito preocupado ... com as unidades subintensivas porque há pacientes infecciosos que precisam de ser tratados e as camas já estão a esgotar-se. E isto antes de a gripe chegar", disse.

Os meios de comunicação social italianos dão nota de que o Governo possa mesmo decretar o encerramento de restaurantes e casas de espetáculo.

Nos últimos dias, o Governo italiano obrigou ao uso de máscara em todo o país, mesmo em espaços abertos.

A pandemia de covid-19 já provocou mais de um milhão e sessenta e três mil mortos e mais de 36,5 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG