Novo coronavírus foi detetado no final de dezembro em França

Foi descoberto um caso de um doente diagnosticado com covid-19, que esteve internado num hospital em Paris.

Médicos franceses acreditam que o coronavírus que provoca a doença Covid-19 já estava ativo no país no final de dezembro, depois de terem diagnosticado retrospetivamente um doente que, a 27 de dezembro, esteve internado num hospital de Paris.

O caso foi descoberto através de um estudo retrospetivo dos testes de PCR (para deteção do vírus SARS-CoV-2) realizados em 24 doentes internados em dezembro e janeiro com pneumonia, explicou o diretor dos cuidados intensivos dos hospitais Avicenne de Bobigny e Jean Verdier de Bondy, Yves Cohen, em declarações feitas esta segunda-feira à France Info.

As amostras de PCR foram recolhidas de um homem que entrou no hospital Jean Verdier em dezembro e foram agora testadas novamente, tendo mostrado um resultado positivo para Covid-19, o que indica que o doente estava infetado naquela altura.

O homem, que não tinha feito quaisquer viagens que levassem a desconfiar que tivesse sido infetado fora do país, esteve doente durante 15 dias e infetou os seus dois filhos, mas não a sua mulher.

Os médicos consideram que a mulher, sendo assintomática, pode estar na origem do contágio da família, especialmente considerando que trabalha numa peixaria de um supermercado em que há clientela de origem chinesa.

O estudo deverá ser publicado numa revista especializada na próxima semana.

A Agência Regional de Saúde da região de Paris já afirmou que vai analisar a tese de que o coronavírus já estava em França antes dos primeiros casos oficialmente registados, a 24 de janeiro, de um francês de origem chinesa e dois turistas chineses que estiveram na cidade de Wuhan, onde se localizou a origem da pandemia.

Mais de um milhão de doentes recuperaram da doença

Desde que foi detetada na China, em dezembro passado, a pandemia de covid-19 já provocou mais de 245 mil mortos e infetou mais de 3,4 milhões de pessoas em 195 países e territórios, segundo um balanço da agência de notícias AFP.

Mais de um milhão de doentes foram considerados curados.

Os Estados Unidos são o país com mais mortos (67.674) e mais casos de infeção confirmados (mais de 1,1 milhões).

Seguem-se Itália (28.884 mortos, mais de 210 mil casos), Reino Unido (28.446 mortos, mais de 186 mil casos), Espanha (25.264 mortos, mais de 217 mil casos) e França (24.895 mortos, mais de 168 mil casos).

Por regiões, a Europa soma mais de 143 mil mortos (mais de 1,5 milhões de casos), Estados Unidos e Canadá quase 71 mil mortos (quase 1,2 milhões de casos), América Latina e Caribe mais de 13.100 mortos (mais de 248 mil casos), Ásia mais de 9,000 mortos (cerca de 240 mil casos), Médio Oriente perto de 7.000 mortos (mais de 185 mil casos), África cerca de 1.800 mortos (mais de 44 mil casos) e Oceânia 122 mortos (mais de 8.100 casos).

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG