Mais de 10 milhões de casos de covid-19 no mundo

Mais de 10 milhões de casos de infeção pelo novo coronavírus foram notificados em todo o mundo, mais de metade dos quais na Europa e nos Estados Unidos.

Segundo um balanço feito pela agência France-Presse (AFP), a partir de dados oficiais divulgados este domingo, há pelo menos 10.003.942 casos de covid-19 em todo o mundo, 498.779 deles mortais.

O ritmo da pandemia continua a acelerar-se, com um milhão de novos casos recenseados em apenas seis dias, destacando-se a América Latina, com mais de 400 mil notificaçõesnos últimos sete dias.

Na Europa, o continente até agora mais atingido pela pandemia de covid-19, registam-se 2.637.546 casos de infeção, 195.975 mortais.

O número de novas contaminações estabilizou, mas a Organização Mundial de Saúde (OMS) adverte para uma aceleração da contaminação a leste, com a Ucrânia, com 1.109 novos casos notificados na sexta-feira, como uma situação especialmente preocupante.

Nos Estados Unidos, o país do mundo com mais infeções e mais mortos, registavam-se no sábado 2.510.323 casos e 125.539 mortes.

Na Índia, também no sábado, os casos de infeção ultrapassaram o meio milhão, com um recorde de 18.500 novos casos num único dia, e os epidemiologistas preveem que o país ultrapasse o milhão de casos em julho.

Registos subavaliados

A AFP adverte que estes números apenas refletem uma parte das contaminações no mundo, dado que muitos países não fazem campanhas de rastreamento.

O Centro de Controlo e Prevenção de Doenças (CDC) dos Estados Unidos estima, por exemplo, que o número de norte-americanos contaminados com o vírus SARS-Cov-2 seja pelo menos 10 vezes superior ao notificado, ou seja, mais de 20 milhões de infetados ou 5% a 8% da população.

Os contágios estão a aumentar em 30 dos 50 estados norte-americanos, nomeadamente nos maiores e mais populosos da parte sul e oeste do país, Califórnia, Texas e Florida.

A América Latina e as Caraíbas são a região do mundo onde a pandemia progride mais rapidamente nesta altura. Entre 21 e 27 de junho, a região registou 408.401 novos casos, contra 253.624 nos Estados Unidos e Canadá e 121.824 na Europa.

O aumento na América Latina, região que já contabiliza 2.432.558 casos e 110.695 mortos, deve-se em grande parte à progressão do vírus no Brasil, que contabiliza 1.313.667 casos e 246.088 mortes.

O Peru (275.989 casos, 24.651 deles novos), o Chile (267.766 casos, 31.018 novos), o México (212.802 casos, 37.600 novos) e a Colômbia (88.592 casos, 22.959 novos), são os restantes países mais afetados na região.

A Ásia parece registar um recrudescimento dos casos diários, devido principalmente à progressão sustentada do vírus na Índia (528.858 casos, 118.398 dos quais notificados nos últimos sete dias), no Paquistão (202.955 casos, 26.338 novos) e no Bangladesh (137.787, 25.481 deles novos).

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG