UE e Reino Unido devem preparar-se para Brexit sem acordo, avisa Barnier

O negociador chefe da UE para o Brexit diz que ambos os lados devem ter tudo pronto para dia 29. E diz que a extensão do artigo 50.º pode aumentar os custos da saída à União Europeia.

Michel Barnier afirmou que o Reino Unido e a União Europeia devem preparar-se para um hard Brexit e que um pedido de extensão da saída pode aumentar os custos políticos e económicos. "Na semana passada, a Câmara dos Comuns votou contra o acordo de retirada e contra o cenário de saída não negociada. Mas votar contra a ausência de acordo não impede que isso aconteça. Todos devem agora finalizar os preparativos para um cenário de ausência de acordo. Do lado da UE, estamos preparados", afirmou.

O político francês que liderou as negociações da saída do Reino Unido do clube europeu, Michel Barnier, repetiu a mensagem de outros líderes europeus: um pedido de extensão longa deve "estar ligada a algo novo, um novo evento, um novo processo", como um segundo referendo ou novas eleições, uma vez que Bruxelas não está disponível para renegociar o acordo.

Barnier disse em conferência de imprensa que a extensão tem de servir um propósito porque o Conselho Europeu e cada Estado membro tem o dever de saber para que serve o adiamento da saída. "Uma extensão traz incerteza, e a incerteza tem custos", afirmou.

O negociador chefe lançou perguntas que os líderes europeus devem responder: a extensão aumenta as hipóteses de acordo no Reino Unido? Como é que a UE pode assegurar que no final da extensão a situação não está no mesmo impasse?

Barnier sinalizou que o quadro da relação futura pode ser "mais ambicioso" caso o Reino Unido assim o deseje.

Lembrou ainda que o período de extensão tem de ser visto tendo em conta as eleições europeias, que decorrem em maio.

Na quinta e na sexta-feira decorre um Conselho Europeu em Bruxelas com o tema do Brexit a dominar as atenções.

Exclusivos