Tribunal constitucional do Mali confirma reeleição de Ibrahim Keita

Resultados tinham sido contestados pela oposição, que alegava fraude.

O Tribunal Constitucional do Mali confirmou esta segunda-feira a reeleição do presidente Ibrahim Boubacar Keita, rejeitando acusações de fraude por parte da oposição. Soumaila Cisse, que angariou 32,83% dos votos, contestou os resultados das eleições presidenciais realizadas a 12 de agosto.

"Proclamo eleito Ibrahim Boubacar Keita", declarou a presidente do Tribunal Constitucional maliano, Manassa Danioko.

Keita foi reeleito com 67,17% dos votos e inicia a 4 de setembro um segundo mandato de cinco anos, numa altura em que as autoridades do Mali estão a enfrentar a violência crescente por parte de grupos jihadistas e milícias étnicas. A sua principal tarefa passa por revitalizar o acordo de paz assinado em 2015 com o governo local e rebeldes tuaregues.

As eleições presidenciais ficaram marcadas por ataques armados no centro e no norte do país que obrigaram ao encerramento de dezenas de locais de voto.

Vários observadores locais e internacionais afirmaram não existir evidências de fraude, independentemente do número de irregularidades e interrupções registadas.

Segundo o ministro da Administração Territorial, Mohamed Ag Erlaf, a taxa de participação nas eleições rondou os 34,54%.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Nuno Artur Silva

Notícias da frente da guerra

Passaram cem anos do fim da Primeira Guerra Mundial. Foi a data do Armistício assinado entre os Aliados e o Império Alemão e do cessar-fogo na Frente Ocidental. As hostilidades continuaram ainda em outras regiões. Duas décadas depois, começava a Segunda Guerra Mundial, "um conflito militar global (...) Marcado por um número significativo de ataques contra civis, incluindo o Holocausto e a única vez em que armas nucleares foram utilizadas em combate, foi o conflito mais letal da história da humanidade, resultando entre 50 e mais de 70 milhões de mortes" (Wikipédia).

Premium

nuno camarneiro

Uma aldeia no centro da cidade

Os vizinhos conhecem-se pelos nomes, cultivam hortas e jardins comunitários, trocam móveis a que já não dão uso, organizam almoços, jogos de futebol e até magustos, como aconteceu no sábado passado. Não estou a descrever uma aldeia do Minho ou da Beira Baixa, tampouco uma comunidade hippie perdida na serra da Lousã, tudo isto acontece em plena Lisboa, numa rua com escadinhas que pertence ao Bairro dos Anjos.

Premium

Rui Pedro Tendinha

O João. Outra vez, o João Salaviza...

Foi neste fim de semana. Um fim de semana em que o cinema português foi notícia e ninguém reparou. Entre ex-presidentes de futebol a serem presos e desmentidos de fake news, parece que a vitória de Chuva É Cantoria na Aldeia dos Mortos, de Renée Nader Messora e João Salaviza, no Festival do Rio, e o anúncio da nomeação de Diamantino, de Daniel Schmidt e Gabriel Abrantes, nos European Film Awards, não deixou o espaço mediático curioso.