Kevin Spacey vai ser julgado e tem a declaração preparada: "Inocente"

Ator norte-americano começa a ser julgado por agressão sexual a jovem de 18 anos e irá defender a sua inocência

"Not Guilty." Será nestes termos em inglês que o ator Kevin Spacey deve declarar-se inocente perante o tribunal de Natucket onde segunda-feira, dia 7, começa a ser julgado pelos crimes de agressão sexual e ofensas corporais, alegadamente cometidas sobre um jovem empregado, 18 anos, de um bar-restaurante da mesma cidade norte-americana do Estado do Massachusetts.

Spacey gravou um vídeo que colocou na sua página de Youtubeem que, assumindo as características da personagem Frank Underwood que encarnou na série House of Cards. Com o título "Deixem-me ser franco", o ator de 59 anos, que foi despedido pela Netflix e não trabalhou mais no cinema após o caso vir a público, parece querer afirmar a inocência.

"Estão a morrer para me ouvir declarar que é tudo verdade e que tive o que merecia. Não era tão fácil? Só que eu e vocês sabemos que nunca é assim tão simples, nem na política, nem na vida. Mas vocês não acreditariam no pior sem provas, pois não? Não saltariam para julgamentos sem factos, pois não? Fizeram-no? São mais inteligentes do que isso", diz Spacey nesse vídeo.

Hoje, em tribunal, não poderá adotar o mesmo tom de Frank Underwood. Os advogados pediram que fosse permitido Spacey não estar presente no julgamento de segunda-feira, alegando que vivia fora do estado e que a sua presença "amplificaria a publicidade negativa já gerada" com o caso. Contudo, o juiz Thomas Barret negou esse pedido e Spacey vai mesmo ter que se sentar no banco dos réus.

Denúncia mais de um ano depois

A acusação resulta de um incidente em julho de 2016 no Club Car, um restaurante-bar em Nantucket. De acordo com a queixa, um jovem de 18 anos empregado no Club Car terá dito a Spacey que tinha 23 anos e fez amizade com o ator, conhecido por papéis em filmes como "Os suspeitos do Costume" e "Beleza Americana", pelo quais ganhou Óscares de Melhor Ator Secundário e Melhor Ator, respetivamente. O rapaz disse à polícia que Spacey pagou-lhe várias bebidas alcoólicas, gabou-se do tamanho do pénis e tentou convencê-lo a ir para a sua casa.

Mais tarde, quando os dois estavam ainda no bar, Spacey começou a passar mão pela perna do jovem que estaria já alcoolizado, lê-se na queixa. De seguida abriu a braguilha das calças do rapaz e esfregou-lhe o pénis, dentro e fora das calças, durante cerca de três minutos, disse o queixoso à polícia. O jovem filmou uma pequena parte do suposto aliciamento no Snapchat e enviou o vídeo para a namorada, afirma ainda a denúncia. Depois de vários minutos, Spacey levantou-se para ir à casa de banho e o rapaz de 18 anos saiu do bar, foi para casa.

A acusação a Spacey surge mais de um ano depois de a mãe do empregado do bar vir a público com o caso. Heather Unruh, ex-apresentadora de TV, contou à imprensa em novembro de 2017 que o filho tinha sido atacado sexualmente por Spacey. O jovem contou à família o episódio na época, mas não denunciou à polícia, só o fez mais de um ano depois. Decidiu então contar às autoridades porque não queria que acontecesse com outra pessoa um caso de género, justificou na denúncia.

Mais de 30 pessoas a queixarem-se

Numa audiência na semana passada, prévia ao julgamento, para determinar se havia provas suficientes para Spacey ser acusado, os advogados do ator colocaram em causa o vídeo que tem uma curta duração, em que não se vê caras. "Em vez de se afastar, ou agarrar o pulso ou bater na mão, ele indicou que, durante esse período de três minutos, estava enviando mensagens de texto e fazendo um video no Snapchat?", perguntou o advogado Alan Jackson a um polícia que registou a queixa. "Sim, foi isso", respondeu o agente da polícia. Além disso, a defesa apostou em questionar o motivo de tão longo hiato entre os factos e a presentação da queixa, relata a CNN

Este é o caso que leva Kevin Spacey a julgamento, mas há outras denúncias e esta nem foi a primeira. No auge do movimento #MeToo, o ator Anthony Rapp revelou que Spacey o teria agredido sexualmente quando tinha 14 anos e o ator tinha à volta de 20. Spacey respondeu, disse que não se lembrava mas pedia desculpa a Rapp por algum comportamento incorreto que tivesse tido. Depois disso, e da denúncia feita pelo jovem de 18 anos, já surgiram mais de 30 pessoas a acusar o ator de assédio ou abuso sexual.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Adriano Moreira

O relatório do Conselho de Segurança

A Carta das Nações Unidas estabelece uma distinção entre a força do poder e o poder da palavra, em que o primeiro tem visibilidade na organização e competências do Conselho de Segurança, que toma decisões obrigatórias, e o segundo na Assembleia Geral que sobretudo vota orientações. Tem acontecido, e ganhou visibilidade no ano findo, que o secretário-geral, como mais alto funcionário da ONU e intervenções nas reuniões de todos os Conselhos, é muitas vezes a única voz que exprime o pensamento da organização sobre as questões mundiais, a chamar as atenções dos jovens e organizações internacionais, públicas e privadas, para a necessidade de fortalecer ou impedir a debilidade das intervenções sustentadoras dos objetivos da ONU.