China prepara-se para eliminar restrição ao número de filhos

Publicação ligada à procuradoria da República Popular da China avançou que novo Código Civil em preparação já não contém qualquer menção ao controlo na natalidade

Um novo Código Civil, atualmente em preparação na China, já não faz nenhuma referência ao controlo da natalidade, segundo um jornal próximo da procuradoria da República Popular da China citado por jornais ocidentais como o britânico The Guardian.

Assim, após mais de quatro décadas de restrito planeamento familiar, o regime chinês estará a preparar-se para permitir que os casais possam finalmente ter quantos filhos quiserem e desejarem. O novo Código Civil, que seria aprovado no Congresso Nacional do Povo em 2020, refletirá então medidas de combate ao envelhecimento da população e à diminuição do número de mulheres no país.

O Partido Comunista começou a impor a política do filho único em 1979 e, em 2016, os casais passam a poder ter dois filhos. A população da China aumentou de 0,97 mil milhões em 1979 para 1,39 mil milhões em 2017.

Ler mais

Exclusivos

Premium

João Almeida Moreira

Bolsonaro, curiosidade ou fúria

Perante um fenómeno que nos pareça ultrajante podemos ter uma de duas atitudes: ficar furiosos ou curiosos. Como a fúria é o menos produtivo dos sentimentos, optemos por experimentar curiosidade pela ascensão de Jair Bolsonaro, o candidato de extrema-direita do PSL em quem um em cada três eleitores brasileiros vota, segundo sondagem de segunda-feira do banco BTG Pactual e do Instituto FSB, apesar do seu passado (e presente) machista, xenófobo e homofóbico.

Premium

Rosália Amorim

"Sem emoção não há uma boa relação"

A frase calorosa é do primeiro-ministro António Costa, na visita oficial a Angola. Foi recebido com pompa e circunstância, por oito ministros e pelo governador do banco central e com honras de parada militar. Em África a simbologia desta grande receção foi marcante e é verdadeiramente importante. Angola demonstrou, para dentro e para fora, que Portugal continua a ser um parceiro importante. Ontem, o encontro previsto com João Lourenço foi igualmente simbólico e relevante para o futuro desta aliança estratégica.