Influencer nigeriano detido por fraude de 388 milhões de euros

"Hushpuppi" exibia um estilo de vida luxuoso para cativar seguidores e depois roubá-los.

O influenciador nigeriano Raymond Abbas - que conquistou 2,4 milhões de seguidores no Instagram com fotos da sua vida glamorosa - foi preso pela polícia do Dubai com acusações de ter organizado um esquema fraudulento no valor de mais de 388 milhões de euros.

Abbas - conhecido no Instagram como "Hushpuppi" - foi detido na noite de quinta-feira no âmbito de uma investigação a lavagem de dinheiro, hackers e fraude cibernética. Onze outros suspeitos foram detidos numa operação que juntou o FBI, a Interpol e a polícia do Dubai. Os detetives invadiram o apartamento do influenciador de 38 anos e apreenderam mais de 150 milhões de dirham (33 milhões de euros).

Os investigadores alegam que Abbas, ex-comerciante de roupas em segunda mão na capital da Nigéria, Lagos, usou sua conta do Instagram para projetar um estilo de vida luxuoso, típico de um milionário, para atrair potenciais vítimas.

Os policias dizem ter encontrado nos telefones, computadores e discos rígidosos de Abbas os endereços de e-mail de quase duis milhões de pessoas que foram vítimas de fraude. Foram ainda apreendidos mais de uma dúzia de carros de luxo e malas cheias de dinheiro.

"Depois de verificar as informações disponíveis, a equipa seguiu o gangue, incluindo 'Hushpuppi', que exibia a sua riqueza nas sociais... sob uma fachada de empresário, na tentativa de atrair vítimas de todo o mundo", disse em comunicado Jamal Salem Al Jallaf, diretor do departamento de investigação criminal da polícia de Dubai. "Os suspeitos também visaram vítimas no estrangeiro, criando sites falsos para empresas e bancos conhecidos, numa tentativa de roubar informações dos cartões de crédito das vítimas e depois lavar o dinheiro roubado".

A operação, com o nome Fox Hunt 2, aconteceu após meses de investigação sobre as atividades do grupo. Al Jallaf disse que os detetives da divisão contra o cibercrime conseguiram seguir membros dos gangues através de contas falsas que criaram nas redes sociais.

Os investigadores dizem que apreenderam documentos que comprovam fraudes "numa escala global" no valor de 1,6 mil milhões de dirham (quase 390 milhões de euros).

Abbas dizia que publicava fotos do seu estilo de vida luxuoso no Instagram para inspirar outras pessoas, dizendo-lhes que era possível enriquecer com o seu trabalho: "Publico algumas dessas coisas para que alguém possa ver a minha página e decida não desistir", escreveu num post.

A imprensa do Dubai afirma que Abbas será extraditado para a Nigéria para enfrentar as acusações. A sua detenção está a ser usada como exemplo pelo presidente nigeriano Muhammadu Buhari que, depois de tomar posse em 2015, prometeu perseguir os criminosos. O seu porta-voz disse ao The Times: "A ação de um único nigeriano não é a ação de todos os nigerianos. . . que são pessoas trabalhadoras e honestas. Não devemos ser identificados como "pessoas fraudulentas" pelos delitos de alguns ".

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG