Ataque a esquadra de Paris. Quatro polícias mortos e o atacante foi abatido

Funcionário civil da esquadra atacou os agentes com uma faca antes de ser abatido por um dos polícias.

Quatro polícias - uma mulher e três homens - foram mortos num ataque esta manhã na sede da polícia de Paris, agredidos por um funcionário civil que foi abatido por um agente, noticiou a imprensa francesa.

O ataque, que ocorreu cerca das 13:00 locais (12:00 em Lisboa) na prefeitura de polícia de Paris, sede das forças policiais na capital de França, foi perpetrado por um homem que utilizou uma arma branca.

O autor, abatido a tiro por um agente no local, era surdo-mudo e funcionário no serviço de informática do Departamento dos Serviços Secretos da Polícia, segundo a imprensa francesa. "Era um administrativo, que tinha mais de 20 anos de serviço. Fazia parte da direção dos serviços secretos. Não era problemático. Já foi montada uma célula de apoio psicológico", explicou à LCI Loïs Travers, secretário-geral do órgão local do sindicato da polícia Alliance.

Remi Heitz, procurador de Paris, disse aos jornalistas que a casa do autor do ataque estava a ser alvo de buscas e a os procuradores da unidade anti-terrorismo estão a avaliar a situação.

De acordo com a AFP, os investigadores exploram a pista de um conflito pessoal.

A prefeitura de polícia de Paris situa-se no centro histórico da capital francesa, perto da Catedral de Notre Dame e em frente do Palácio de Justiça.

O primeiro-ministro francês, Édouard Philippe, acompanhado pelo ministro do Interior, Christophe Castaner, estão no local, refere o canal de televisão.

As estradas perto do local onde o ataque aconteceu, em Île de la Cité, estão encerradas ao trânsito, bem como a estação de metro localizada perto da esquadra.

Em atualização.

Exclusivos

Premium

Gastronomia

Quem vai ganhar em Portugal as próximas estrelas Michelin

É já no próximo dia 20, em Sevilha, que vamos conhecer a composição ibérica das estrelas Michelin para 2020. Estamos em festa, claro, e festejaremos depois com os nossos bravos, mesmo sabendo que serão poucos para o grande nível a que já chegámos. Fernando Melo* escreve sobre os restaurantes que podem ganhar estrelas Michelin em 2020 em Portugal.