Harry e Meghan. De onde vem o dinheiro e como vão viver no futuro

Ao deixarem de ser membros seniores, os duques de Sussex passam a ser financeiramente independentes. Pelo menos em parte, já que o dinheiro irá continuar a chegar de várias fontes reais. Mas Harry e Meghan são também muito populares e geram muitas receitas.

Harry e Meghan surpreenderam quando anunciaram que vão deixar de ser "membros seniores" da Família Real britânica. A decisão, que terá causado uma deceção no Palácio de Buckingham, significa que o casal será financeiramente independente. Como obtinham dinheiro da família real e como será agora a sua situação financeira? Foi a estas duas questões que a BBC procurou responder.

Os gastos do casal são assegurados em 95% pelo príncipe de Gales, pai de Harry. O príncipe Carlos paga as despesas dos deveres públicos de Harry e Meghan, assim como as dos duques de Cambridge, William e Kate, e ainda garante algumas das suas despesas privadas. Em 2018, ano em que Meghan ingressou oficialmente na família real, o financiamento foi acima de 5,8 milhões de euros.

Esse dinheiro é gerado pelas receitas do Ducado da Cornualha, um vasto portfólio de investimentos imobiliários e financeiros, que gerou 25,3 milhões de euros em 2019. Além disso, cerca de 5% do orçamento dos duques de Sussex tem origem na Subvenção Soberana [Sovereign Grant], um mecanismo através do qual o governo transfere dinheiro para a família real para cobrir as despesas de deveres oficiais e os cuidados dos palácios reais. É financiado através das receitas das inúmeras propriedades imobiliárias da coroa britânica.

O dinheiro deixado por Diana

Mas Harry e Meghan têm ainda uma considerável riqueza pessoal. Os príncipes William e Harry receberam uma grande parte da fortuna de 15,2 milhões de euros deixada pela sua mãe, a princesa Diana.

Quando Harry completou 30 anos, em 2014, recebeu ainda cerca de 12 milhões de euros de um fundo fiduciário criado por Diana, de acordo com o noticiado pela imprensa britânica. Acredita-se também que a sua bisavó, a rainha-mãe, deixou a Harry milhões de libras, segundo refere Nick Witchell, correspondente da BBC. Os analistas de consultora Wealth X estimam a fortuna de Harry em pelo menos 22 milhões de euros.

A fortuna pessoal de Meghan é estimada em cerca de 4,5 milhões de euros, de acordo com dados reunidos pelo site Town & Country. Durante a sua carreira de atriz, a duquesa de Sussex ganhava cerca de 45 mil euros por cada episódio da série televisiva "Suits". Entrou em 108 episódios. Markle teve ainda um blogue sobre estilo de vida e criou a sua própria linha de moda para uma marca canadiana.

Ao abdicarem de serem seniores na família real, Harry e Meghan não receberão mais recursos financeiros da Subvenção Soberana e passam a viver de forma independente com os seus recursos. Contudo, desse fundo o dinheiro era só 5% do seu orçamento e não se sabe se abdicam de outras fontes de financiamento.

Por exemplo, diz a BBC que o casal continuará a ter segurança da Polícia Metropolitana, financiada pelos contribuintes, mas os valores destas despesas não são públicos.

As receitas das redes sociais e da televisão

O casal diz que sempre financiou as viagens particulares e, garantem, continuará a acontecer dessa forma. Mas agora que anunciam ir viver para a América isso implicará muitas viagens ao Reino Unido, o que coloca a possibilidade de os contribuintes continuarem a pagar as viagens feitas para cumprir compromissos oficiais. Também tencionam manter a sua casa no Reino Unido, Frogmore Cottage em Windsor, que foi renovada em 2019 por 2,7 milhões, pagos pelos contribuintes.

Um forte tópico de debate

Como membros seniores da realeza, Harry e Meghan não têm permissão para obter financiamentos de outra forma. No entanto, o casal observa que existem outros membros da família real que têm empregos a tempo inteiro. Segundo David McClure, autor de um livro sobre finanças reais, a maneira como Harry e Meghan serão financiados no futuro será um forte tópico de debate. "Suponho que podem ganhar dinheiro escrevendo livros, uma outra fonte provável é a televisão. Dizem que Harry e Meghan fizeram um acordo com Oprah Winfrey, de modo que seria uma maneira possível de ganhar dinheiro", disse McClure à BBC.

Quando anunciou a decisão, o casal disse que uma das prioridades futuras é lançar uma nova instituição de caridade. Em junho, Harry e Meghan decidiram deixar a Royal Foundation, que partilharam com o duque e a duquesa de Cambridge. A Royal Foundation, criada em 2009, concentra-se em causas como forças armadas, conservação e saúde mental.

O casal também registou a sua marca Royal Sussex , aplicando-a em dezenas de items e serviços, desde estojos a atividades desportivas e formação educacional.

Sendo um dos casais mais famosos do mundo, a sua marca tem potencial para ser muito lucrativa. A conta conjunta no Instagram @sussexroyal tem mais de 10 milhões de seguidores, enquanto Meghan foi a pessoa mais pesquisada no Google no Reino Unido em 2019.

Mas quem são e o que fazem os membros seniores da Família Real?

O termo senior dentro da realeza refere-se aos membros que estão no topo da linha de sucessão e respetivas esposas. Harry ocupa a sexta posição, atrás do pai, Carlos, do irmão William e os três filhos deste último, explica a BBC

Os seniores trabalham ativamente em questões da realeza, desempenham funções em nome da rainha Isabel II e são representantes internacionais da família real. Alguns ocupam a posição de Conselheiros de Estado e podem assumir algumas das funções da rainha no caso de ela estar doente ou fora do país.

No entanto, não podem discutir assuntos da Commonwealth, dissolver o Parlamento ou nomear um primeiro-ministro.

Tarefas das quais Harry e Meghan abdicam para viver uma vida "independente", abrindo mais uma crise na família real britânica.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG