Funcionários em greve bloqueiam a entrada do Museu do Louvre

O museu mais visitado do mundo foi fechado esta sexta-feira devido a uma greve de um grupo de funcionários que decidiu bloquear a entrada em protesto contra os planos de reforma do sistema de pensões apresentado pelo governo francês.

O museu do Louvre, em Paris, foi fechado esta sexta-feira depois de um grupo de funcionários ter bloqueado a entrada em protesto contra os planos de reforma do sistema de pensões do governo francês.

"É na pirâmide do Louvre, no mesmo lugar que o presidente Emmanuel Macron escolheu consagrar a sua eleição, que uma oposição sindical protesta contra as suas diretrizes desastrosas de pensões", escreveu em comunicado a união que reúne quatro sindicatos.

Mais de cem manifestantes bloquearam a entrada principal da pirâmide de vidro, agitando bandeiras e cantando: "Continuaremos até conseguir a retirada [do plano de reforma]!".

Os turistas aglomerados atrás das forças de segurança foram convidados a participar do movimento: "Turistas connosco!" Mas estes, muitos estrangeiros, expressaram acima de tudo indignação e incompreensão, tendo inclusivamente alguns deles insultado os funcionários em greve.

O Louvre disse que os bilhetes serão reembolsados e não descartou abrir esta sexta-feira à tarde, se o bloqueio terminar.

O movimento contra a reforma do sistema de pensões que o governo deseja estabelecer começou a 5 de dezembro e, desde então, França passa por uma greve sem precedentes, especialmente nos transportes públicos.

O Louvre, o museu mais visitado do mundo, recebeu no ano passado 9,6 milhões de visitantes.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG