Ex-conselheiro de Trump detido por fraude em angariação de fundos

Steve Bannon é acusado de ter lesado centenas de milhares de doadores da campanha de angariação de fundos para a construção de um muro na fronteira entre os Estados Unidos e o México. Presidente diz que não sabe de nada sobre o projeto de Bannon.

O ex-conselheiro de Donald Trump, Steve Bannon, foi detido nesta quinta-feira e é acusado de lesar centenas de milhares de doadores que contribuíram para a campanha de arrecadação de fundos "Nós Construímos o Muro".

A campanha juntou mais de 25 milhões de dólares (20,99 milhões de euros) para construir um muro ao longo da fronteira sul dos EUA com o México.

Além de Bannon, foram também detidos três dos seus associados, indiciados por investigadores de Nova Iorque. São eles: Timothy Shea, que em maio foi anunciado como administrador em exercício da Drug Enforcement Administration, Brian Kolfage, um veterano da guerra do Iraque, e Andrew Badolato.

A campanha tinha como objetivo arrecadar dinheiro para ajudar o presidente Donald Trump a cumprir a promessa eleitoral de construir um muro ao longo da fronteira. Em vez disso, o Ministério Público norte-americano alega que Bannon e a sua equipa de conservadores lucraram com o acordo.

Segundo a acusação, os réus "receberam coletivamente centenas de milhares de dólares em fundos de doadores" e cada um deles "usou [os valores] de maneira inconsistente com as representações públicas da organização".

"Os réus defraudaram centenas de milhares de doadores, capitalizando o seu interesse em financiar um muro de fronteira para arrecadar milhões de dólares, sob o falso pretexto de que todo esse dinheiro seria gasto na construção", disse a procuradora dos EUA Audrey Strauss, numa declaração citada pelo canal CNBC.

"Enquanto repetidamente garantiam aos doadores que Brian Kolfage, o fundador e rosto público da 'We Build the Wall,' não receberia um centavo, os réus secretamente planearam passar centenas de milhares de dólares para Kolfage, que os usou para financiar o seu estilo de vida luxuoso, diz a acusação.

GoFundMe ameaçou suspender a campanha de angariação de fundos

.

Kolfage, de 37 anos, é um veterano de guerra com três amputações que no final de 2018 lançou uma campanha de crowdfunding no site GoFundMe para construir um muro ao longo da fronteira EUA-México.

O ato surgiu a meio de um impasse sobre o financiamento do governo no Capitólio, onde Trump exigia que qualquer pacote de gastos incluísse milhões de dólares para construir o muro.

O impasse culminou na mais longa paralisação parcial do governo na história dos EUA.

O esforço de Kolfage rapidamente se tornou viral e arrecadou milhões de dólares de centenas de milhares de doadores - mas o site GoFundMe ameaçou suspender a campanha de construção a menos que Kolfage "identificasse uma organização sem fins lucrativos legítima para a qual esses fundos pudessem ser transferidos", de acordo com a acusação.

Trump diz não saber nada sobre o projeto de Bannon

Entretanto, o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, confrontado com a detenção de Bannon, disse já nesta quinta-feira não saber de nada sobre a campanha online para financiar o muro na fronteira com o México, pela qual o seu ex-assessor foi acusado de enganar centenas de milhares de doadores.

"Não sei nada sobre este projeto", disse Trump na Sala Oval. "Não tenho contacto com ele há muito tempo", acrescentou, referindo-se ao seu ex-assessor.

A porta-voz de Trump, Kayleigh McEnany, emitiu pouco antes um comunicado destacando que o presidente não tinha "nenhum envolvimento" com esta iniciativa.

* atualizado às 17.19

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG