Espanha com forte queda diária de mortes e casos positivos

Espanha registou, nas últimas 24 horas, 164 mortes devido à pandemia de covid-19, o número mais baixo desde finais de março e menos 112 do que no sábado, havendo até agora um total de 25.264 óbitos.

Há 838 novos casos positivos, também uma diminuição assinalável em relação aos 1.147 de sábado, elevando para 217.466 o total de infetados confirmados pelo teste PCR, o mais fiável na deteção do vírus, de acordo com o Ministério da Saúde espanhol, h

Os números diários indicam ainda que, nas últimas 24 horas, há 1.654 pessoas curadas, sendo o total de 118.902 desde o início da pandemia.

Confirma-se a tendência geral nos últimos dias para a diminuição do número de casos positivos e de mortes associados à covid-19, com o número de curados a aumentar e um alívio de todo o sistema de internamento hospitalar. Esta informação foi comunicada pelo primeiro-ministro de Espanha, Pedro Sánchez, aos presidentes das várias regiões, por videoconferência.

Espanhóis podem sair à rua mas o estado de emergência continua

Depois de confinados em casa desde meados de março, o desmantelamento das medidas impostas vai ser realizado em fases até ao final de junho, assim como numa série de países da Europa ocidental que também estão a aprovar o fim progressivo das medidas impostas, para evitar uma nova onda de contaminação.

Apesar da melhoria da situação, o Governo espanhol vai propor ao parlamento o prolongamento por mais duas semanas do estado de emergência em vigor desde 15 de março e que foi sucessivamente dilatado até 09 de maio.

Espanha é o segundo país com mais mortos com a pandemia por cada milhão de habitantes (537 óbitos), depois da Bélgica (677) e antes da Itália (475), Reino Unido (414) e França (379), numa lista em que os Estados Unidos têm 204 e Portugal 100.

A nível global, segundo um balanço da agência de notícias AFP, a pandemia de covid-19 já provocou mais de 241 mil mortos e infetou cerca de 3,4 milhões de pessoas em 195 países e territórios.

Face a uma diminuição de novos doentes em cuidados intensivos e de contágios, alguns países começaram a desenvolver planos de redução do confinamento e em alguns casos a aliviar diversas medidas.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG