Egito rebate Elon Musk e reafirma que pirâmides não foram construídas por extra terrestres

Governo egípcio convidou fundador da Space X para visitar o país e ver com os próprios olhos que as famosas pirâmides não foram construídas por extra terrestres

O governo do Egito convidou o bilionário Elon Musk para visitar o país e ver com os próprios olhos que as famosas pirâmides não foram construídas por extra terrestres.

O fundador da SpaceX, primeira empresa privada a enviar foguetes tripulados para o espaço, esreveu no Twitter que o esforço de construção das estruturas envolveu o apoio de aliens, apoiando assim a linha de pensamento de alguns teóricos.

"Aliens construíram as pirâmides, obviamente", escreveu o magnata da tecnologia, numa publicação partilhada mais de 80 mil vezes.

No entanto, a ministra da cooperação internacional do Egito, Rania al-Mashat, rebate essas afirmações e diz que ver as tumbas dos construtores da pirâmide poderá ser a prova de que Musk necessita.

"Musk, estamos esperando por si", escreveu no Twitter.

Os túmulos descobertos na década de 1990 são evidências definitivas, dizem os especialistas, de que as as pirâmides foram realmente construídas pelos antigos egípcios.

O arqueólogo egípcio Zahi Hawass também respondeu, num pequeno vídeo em árabe publicado nas redes sociais, dizendo que a afirmação de Musk era uma "completa alucinação". "Encontrei os túmulos dos construtores das pirâmides que mostram a todos que eles eram egípcios e não eram escravos", frisou, segundo a publicação EgyptToday.

Entretanto, Musk publicou no Twitter um link para uma página da BBC History sobre a vida dos construtores de pirâmides, dizendo que esse "artigo fornece um resumo sensato de como tudo foi feito".

Existem mais de 100 pirâmides sobreviventes, mas a mais famosa é a Grande Pirâmide de Gizé, no Egito, com mais de 137 metros de altura.

A maioria delas foi construída como túmulos, uma espécie de panteão nacional para a realeza do Egito.

Musk é conhecido pelas suas publicações prolíficas e às vezes erráticas. Uma vez disse à CNBC que "o Twitter é uma zona de guerra".

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG