Condenados à morte sete acusados de ataque em restaurante no Bangladesh em 2016

Um tribunal do Bangladesh condenou à morte sete dos oito acusados do ataque ao restaurante Holey Artisan em 2016, que causou 22 vítimas mortais, entre os quais 18 estrangeiros.

O Tribunal Especial Antiterrorista condenou esta quarta-feira sete dos acusados à morte e absolveu um, Boro Mizan, "já que a acusação contra ele não pôde ser comprovada", disse o advogado de defesa de quatro dos acusados, Delwar Hossain.

Os condenados foram considerados autores intelectuais do ataque - foram eles que o planearam e forneceram as armas aos atacantes.

No dia 1 de julho de 2016, cinco atacantes entraram à noite no restaurante Holey Artisan Bakery e, até terem sido mortos após uma intervenção das forças de elite do país, torturaram durante horas os reféns. Após 12 horas de sequestro, as forças policiais conseguiram salvar 13 reféns e mataram os cinco atacantes. Entre os reféns mortos havia nove italianos, sete japoneses, um norte-americano e um indiano. O ataque foi reivindicado pelo Estado Islâmico mas o Bangladesh argumentou que era da responsabilidade de um grupo militar local.

Após ser conhecido o veredicto, o procurador público, Golam Sarwar Khan, considerou que as acusações "foram provadas para lá de qualquer dúvida". "O tribunal deu-lhe o castigo mais grave", considerou.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG