Coletes Amarelos. Polícias em pânico refugiam-se em lavandaria

Video captado por jornalista mostra um grupo de manifestantes a perseguir dois polícias que se fecham no estabelecimento. Só quando chegaram reforços é que os dois agentes puderam sair.

São imagens impressionantes captadas este sábado em Paris, com dois polícias a terem de se refugiar numa lavandaria quando fugiam de um grupo de manifestantes dos Coletes Amarelos. Os agentes entraram na loja, onde estavam clientes, e os jovens continuaram a tentar agredi-los, atirando todo o tipo de objetos contra os vidros da lavandaria.

A cena durou dois minutos. Filmada por um jornalista do Le Nouvel Observateur, é impressionante a sequência que ocorreu no boulevard Beaumarchais, não muito longe da Praça da Bastilha. Outros manifestantes tentaram intervir, segundo o autor do vídeo, mas os dois policias só conseguiram sair quando os reforços chegaram ao local.

Lucas Borel foi o jornalista que gravou o video.

A mobilização dos coletes amarelos está ser marcada por vários incidentes neste sábado na capital. Logo de manhã, a polícia de Paris disparou gás lacrimogéneo para afastar os manifestantes do movimento "coletes amarelos" que assinalam hoje o primeiro aniversário dos protestos, muitas vezes violentos, contra o presidente Emmanuel Macron. A polícia, destacada em toda a cidade de Paris, tinha detido 33 pessoas ao fim da manhã.

Houve automobilistas que foram apanhados no meio da agitação e com o gás lacrimogéneo lançado pela polícia acabaram por sofrer intoxicações no interior de viaturas.

Noutra situação, um elemento da imprensa que usava máscara de gás, ficou gravemente ferido na sequência de confrontos

Elementos policiais retiraram manifestantes que tentavam bloquear uma passagem e dispararam repetidos jatos de gás lacrimogéneo contra grupos reunidos perto de Porte de Champerret, no noroeste, e da Place d'Italie, no sudeste da cidade. Houve vários incêndios, pedras lançadas e muita confusão.

O objetivo foi afastar "coletes amarelos" que tentam reavivar o seu movimento, no primeiro aniversário dos intensos protestos contra o presidente francês e as suas políticas. Tem havido confrontos com a polícia em Paris, mas nas outras cidades francesas os protestos têm sido mais tranquilos.

Exclusivos