Bélgica enfrenta "tsunami" de infeções e situação "mais perigosa de toda a Europa"

Frank Vandenbroucke garante que os casos de covid estão a ficar fora de controlo e que a situação em algumas zonas do país é "a mais perigosa de toda a Europa".

A Bélgica está a perder o controlo da segunda vaga da pandemia de covid-19 e está muito perto de ser engolida por um "tsunami" de infeções, alertou o ministro da Saúde, Frank Vandenbroucke .

Numa entrevista à RTL, o governante garantiu que os belgas precisam de mudar radicalmente o seu comportamento se querem controlar os contágios. Para Vandenbroucke, a situação na Valónia e na capital, Bruxelas é "a pior, e por isso a mais perigosa de toda a Europa".

"Somos a região mais afetada em toda a Europa. Estamos muito perto de um tsunami... em que já não controlaremos o que está a acontecer. Agora ainda controlamos o que acontece, mas com enormes dificuldades e esforço".

O ministro falava depois de serem conhecidas as últimas medidas do governo belga para tentar travar a pandemia. A partir desta segunda-feira e durante quatro semanas, todos os bares e restaurantes do país vão fechar. A venda de álcool está proibida a partir das 20.00 e entra em vigor o recolher obrigatório entre a meia-noite e as 5.00.

Os belgas só podem ter um contacto próximo fora do agregado familiar. As visitas em casa também estão limitadas a quatro pessoas (que podem mudar a cada 15 dias) desde que mantenham o distanciamento social.

"Se os casos continuarem a aumentar, o número de hospitalizações será tal que teremos de adiar cada vez mais os cuidados de saúde não-covid, o que também é muito perigoso. O governo tem apenas uma mensagem: protejam-se, protejam quem amam, para não se contaminarem", afirmou Vandenbroucke.

O novo primeiro-ministro belga, Alexander De Croo, admitiu que a situação na Bélgica é pior agora do que foi em março, quando o país foi colocado em confinamento.

Nos últimos 14 dias, a Bélgica registou 756 infeções por cem mil habitantes (Portugal tem 210, segundo o Centro Europeu de Prevenção e Controlo de Doenças). Ao todo, desde o início da pandemia, a Bélgica, com uma populaação de 11,6 milhões, já registou mais de 222 mil casos e mais de dez mil mortos de covid-19.

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG